Produzido pela Red Bull TV, “Inspire the Night: Batekoo” investiga por que o coletivo conquistou sucesso não só em Salvador, mas em diversas cidades do Brasil.

Criada em 2014, em Salvador, a festa tornou-se um manifesto do movimento negro e LGBTQIA, principalmente entre jovens que vivem nas periferias e que veem nas atividades do núcleo um porto seguro para se divertir. Conquistou cidades como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, criando uma atmosfera única repleta de dança e com aposta em sons oriundos da cultura negra, como hip-hop, trap, twerk e funk.

O documentário acompanha os seis jovens periféricos (Wesley, Maurício, Artur, Kiara, Juju e Renata) que juntos criaram a Batekoo, revelando suas raízes, seus ideais e sua luta diária contra preconceitos de todo o tipo.

“Nós vemos a Batekoo como um símbolo de liberdade. Estamos aqui para ressignificar as coisas”, diz Maurício Sacramento, um dos criadores. “Participar do doc foi algo que mexeu mais comigo do que eu imaginava. Trouxe à tona a forma como as pessoas me enxergam e o pouco que sei sobre eu mesma: minha irmã assumiu preconceitos em frente à câmera, o bairro inteiro ficou ao meu redor, uma galera que eu nem sabia mostrou o quanto me admira e me observa”, conta Juliana Andrade, ou Juju ZL, que também é atriz e dançarina

da companhia da própria Batekoo e hoje mora em Cidade Tiradentes, na periferia de São Paulo.

“Inspire the Night: Batekoo” ainda traz depoimentos de artistas fãs do coletivo que acompanharam desde o começo a trajetória e a importância social das festas e eventos, como Rincon Sapiência, Karol Conká e MC Soffia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Especial Google

+ Ver mais

Quer falar com mulheres? Olhe para os dados, não para os estereótipos

por Artigo de Kate Stanford, diretora global de marketing e publicidade no Youtube

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald