Algumas ideias são tão poderosas que valem muito mais do que apenas um Leão no Festival Cannes Lions. Pergunte a uma mãe deficiente visual, por exemplo, quanto ela pagaria para poder saber como são os seus filhos, mesmo sem poder enxergar. Com essa ideia “nas mãos” e muita ousadia na cabeça, a equipe de criação da Mood começou a desenvolver o case “Conhecendo Murilo”, que já ganhou um Leão de Prata e outro de Ouro no Lions Health.

A agência resolveu reproduzir o rosto dos bebês em 3D para homenagear, de uma maneira emocionante e inusitada, algumas futuras mães no Dia das Mães. A campanha foi criada para a marca Huggies, da Kimberly Klark, e reproduzida aos montes, gerando mais de 13 milhões visualizações no Youtube e um total de mais de 60 milhões de dólares em mídia espontânea, apenas na primeira semana de veiculação.

Em Cannes, o Adnews teve a oportunidade de conversar com a equipe de criação formada por André Félix, Bruno Brasileiro, Felipe Munhoz, Rafael Gonzaga e Ricardo “Brad” Correia, o único que não estava no bate-papo. Juntos, tomando sorvete em frente ao Palais, eles contaram alguns dos detalhes por trás do case que emocionou o público.

“Durante a produção do trabalho a comoção foi geral. No parto do Murilo, todo mundo chorou na gravação da cena. A emoção rolou solta porque as mães eram reais, as histórias eram reais, era tudo muito real. Nós não roteirizamos nada e não colocamos uma palavra na boca das mulheres”, explicou André Félix, que capitaneou a ação como Head of Digital da agência.

Embora agora esteja na Zimmerman, agência americana do grupo Omnicom, Félix diz ter motivos de sobra para dizer que esse foi o case que mais lhe deu orgulho em toda a sua carreira até o presente momento. Em uníssono, entretanto, a equipe garante que o cliente também tem grande parte do mérito. “Se não tivermos clientes e pessoas que acreditem em ideias poderosas as coisas não acontecem. A Mood não tem a conta de Kimberly Klark e nem de Huggies. Somos apaixonados por ideias e vimos que essa, em particular, tinha muita sinergia com Huggies. Batemos na porta da marca na maior cara de pau e ganhamos cinco minutos para apresentar a ideia. Foi o suficiente para emocionar o cliente”, lembrou Félix.

A equipe ainda contou que a Huggies já tinha uma campanha pronta para lançar a linha “Primeiros 100 Dias”, mas a diretora de marketing da marca pediu para brecar o trabalho e conhecer melhor a campanha. O mais curioso de tudo é que a conta de Huggies tem alinhamento global com a Ogilvy e o cliente estava em processo de escolha da agência digital no Brasil. A vencedora foi a VML, mas a Mood, que nem participava do processo de concorrência, foi contratada para o desenvolvimento da campanha. “O cliente comprou uma briga internacionalmente por nossa ideia”, ressaltou Félix.

Além de todo o apelo emocional, o que chama a atenção nesta campanha é o cuidado com os detalhes. Quer um exemplo? Na peça entregue às mães, com a réplica do rostinho dos seus filhos, abaixo da mensagem da campanha está o nome da marca: “Huggies”. Ninguém sabe disso, apenas as mães que “leem” o ultrassom para conhecer os seus filhos. O motivo? A campanha, segundo a equipe de criação, foi feita para elas.

Vale a pena rever o case:

Huggies Presents- Meeting Murilo from the goodfellas on Vimeo.

Renato Rogenski, direto de Cannes (França)

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald