Mais uma vez para alegrar a todos, São Paulo será sede do quinto “Festival Red Bull Basement”,  um dos eventos mais esperados do ano de tecnologia. No sábado (14/09) das 10h às 20h todos poderão presenciar diversas atrações como debates, oficinas, exposições e exibições de filmes gratuitamente.

A Red Bull Station será tomada por esse grande evento que propõe uma interação entre projetos técnológicos e questões sociais.  A curadoria do artista visual, Claudio Bueno, virá apresentar o tema “Visualizações de Mundos” a partir de talks, workshops e exposições. Cada atração buscará compor o tema do festival trazendo em cada aspecto as diferentes formas que cada um vê e processa as informações dos dias de hoje.

Clique aqui para conferir entrevista realizada com o curador.

O motivo essencial do festival é estimular o raciocino do que é visto e criado pelas tecnologias digitais de hoje em dia, como aparelhos, ferramentas e softwares.  Por tal motivo, a galeria principal contará com quatro grandes obras audiovisuais contemporâneas, que vem para debater o tema do festival  tal qual a obra “Descrito como Real”  que intercala imagens de maquetes eletrônicas de grandes obras de intervenção urbana da cidade de Fortaleza com materiais de arquivos da NASA.  Outro curta-metragem que estará na galeria, é o “Afronauts” que vem contar a história da corrida espacial na Zâmbia na década de 1960.

“Nos vídeos, os diretores se utilizam das tecnologias para pensar mundos, seja pelo viés econômico, social, tecnológico ou de construção das cidades, e usam a perspectiva de diferentes culturas e corpos, levando em consideração seus repertórios e formações”, explica Claudio.

No auditório ocorrerá palestras como a do astrônomo indígena Germano Afonso, PHD no assunto. Sua palestra  as tecnologias e modos de visualização dos céus a partir da perspectiva afro-ameríndia presente no contexto brasileiro e a experiência poderá ser complementada com uma sessão em um planetário inédito montado na laje do Red Bull Station, que receberá grupos para observar constelações afro-indígenas a cada 20 minutos.

Haverá ainda experimentações e protótipos dos residentes do Red Bull Basement em 2019, em que os participantes discutirão suas preocupações urgentes no contexto atual brasileiro relativas às intersecções das tecnologias com o meio ambiente e à sustentabilidade, às noções de circularidade econômica, à educação e às pedagogias DIY (Do it Yourself), à acessibilidade e à inclusão social. Eles convidam nomes importantes da pesquisa científica nacional, como o biólogo Marcos Buckeridge, para ampliar o debate.

Nos workshops, os visitantes vão praticar e experimentar. Haverá a produção de narrativas audiovisuais em realidade virtual (VR), oferecida pela pesquisadora e artista Lyara Oliveira. Outras informações estão no site.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald