Se você tem vontade de comer chocolate, mas fica pensando A Choco OZ, marca de chocolates da OZ Candy Co., desenvolveu uma linha de barras Zero Açúcar com diferentes teores de cacau e frutas secas para proporcionar o mesmo prazer dos seus chocolates aos consumidores que possuem restrições alimentares e buscam uma alimentação mais saudável. A Coleção Zero é composta pelo cremoso OZ Chocolate 33% ao Leite e pelas as opções OZ Chocolate 50% Suave e OZ Chocolate 70% Intenso que também podem ser consumidas por pessoas com intolerância ao glúten e lactose.

Já, para quem prefere opções mais funcionais, que associam os benefícios do chocolate com os proporcionados pelas frutas, a marca criou o Choco OZ Zero Açúcar 70% Cacau Castanha de Caju que combina chocolate 70% cacau com a castanha que é rica em substâncias que auxiliam no fortalecimento dos ossos e do sistema imunológico e contribuem para a redução do colesterol ruim (LDL) e aumento do colesterol bom (HDL). Outro destaque é o Choco OZ Zero Açúcar 50% Cacau Cranberry, que combina o chocolate 50% da OZ com a fruta azedinha nativa da América do Norte que é um poderoso antioxidante com flavonoides e ácidos fenólicos que proporcionam diversos benefícios ao organismo.

Para quem prefere chocolate ao leite, a marca oferece o Choco OZ Zero Açúcar 33% Cacau Damasco, rico em potássio, fibras e ferro, e o Choco OZ Zero Açúcar 33% Cacau Goji Berry, recheado com a fruta tibetana que auxilia no emagrecimento e melhora o sistema imunológico.

As barras de chocolate maciço de 100g e as com frutas de 80g já estão disponíveis nas regiões Sul e Sudeste do país em redes de supermercados regionais, lojas de doces e empórios.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdPublicidade

+ Ver mais

Nostalgia: a volta dos colecionáveis Tazos pela Lays

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdEducation

+ Ver mais

Quarentena ocasiona overload de cursos gratuitos

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald