Nos últimos 15 anos, o Movimento Outubro Rosa vem contribuindo com o sucesso para conscientizar, especialmente as mulheres, quanto aos fatores de risco, proteção e as medidas de detecção precoce do câncer de mama no Brasil. Porém, pontos negativos, como o preconceito e a escassez de informações; mesmo com a evolução do conhecimento em relação à doença, muitas pessoas ainda não compreenderam que o autoexame da mama é insuficiente para uma completa prevenção, principalmente entre jovens mulheres com menos de 30 anos. É nesse cenário que clama por um diálogo mais direto, próximo e urgente, que surge o game interativo Mamaze, uma iniciativa social desenvolvida pela agência DPZ&T em parceria com a UmStudio Code & Motion, com apoio científico dos Institutos Vencer o Câncer e Oncoguia.

Desde sexta-feira, (18), véspera do Dia Internacional contra o Câncer de Mama, (19), o game está no ar no site. Composto por três fases com labirintos que remetem a movimentos do autoexame, o Mamaze leva as usuárias a um próximo estágio após a conclusão do desafio.

Trata-se de um Quiz demonstrando com três perguntas que os cuidados não devem parar no autoexame das mamas, que é somente o primeiro passo. As questões abordam conhecimentos sobre fatores de riscos, as formas de prevenção e também o que é recomendável em casos de câncer metastático.

Na sequência, uma mensagem incentiva que as usuárias façam mamografias regularmente e evitem o diagnóstico tardio entrando em contato com um médico.

“A descoberta na fase inicial aumenta significativamente as chances de cura do câncer de mama. O autoexame pode ser feito mensalmente. O procedimento ajuda a conhecer melhor o seu próprio corpo e a notar qualquer alteração que possa surgir nas mamas. Caso note algo diferente, busque sempre ajuda médica. Mas é fundamental alertar que, a única maneira de identificar se há algo errado com as mamas, é fazendo periodicamente a mamografia. Por isso estamos junto com a DPZ&T nesta campanha, levando orientações e informações de forma simples e correta. Ideias criativas, como o Mamaze, aproximam, engajam e, sobretudo, ajudam a prevenir a doença e dar mais qualidade de vida para a população”, afirma o oncologista Fernando Maluf, fundador do Instituto Vencer o Câncer.

Curiosamente, ao término do primeiro semestre de 2019, a Pesquisa Game Brasil, estudo nacional da Sioux Group, Go Gamers, Blend e ESPM sobre tendências e comportamento dos consumidores de jogos eletrônicos no país, apontou que aproximadamente 53% dos gamers no país são formados por mulheres. Além disso, mais de 80% do público tem nos smartphones a plataforma preferida de jogos. Números comprovados, que vão de encontro à necessidade de uma comunicação como o Mamaze, como diz Eduardo Simon, CEO da DPZ&T: “A gameficação no meio digital representa uma forma mais lúdica de falar com jovens e mulheres de todas as idades. Os movimentos básicos do autoexame foram usados no Mamaze exatamente para envolver as mulheres no assunto. Aliando entretenimento e o formato interativo do game, temos uma opção moderna e digital capaz de gerar discussão sobre um assunto importante e atual.”

A DPZ&T também promove a conscientização internamente com uma cobertura especial em suas redes sociais, incluindo depoimentos de integrantes das ONGs e colaboradoras da própria agência.

Porém, pontos negativos, como o preconceito e a escassez de informações; mesmo com a evolução do conhecimento em relação à doença, muitas pessoas ainda não compreenderam que o autoexame da mama é insuficiente para uma completa prevenção, principalmente entre jovens mulheres com menos de 30 anos.

 

Ficha técnica:
Título: Mamaze
Produto: Institucional DPZ&T
Agência: DPZ&T Comunicações S.A.
Direção Geral de Criação: Rafael Urenha
Direção Executiva de Criação: Sergio Mugnaini, Carlos Schleder
Direção de Criação: Denise Gallo
Criação: Yllo Pedra e Fred Sekkel
Atendimento: Fabio Losso e Ismaille Rocha
PR: Patricia Capuchinho e Otavio Almeida
Mídia: Paulo Ilha, Felipe Proença, Michelle Fernandes, Juliana Misawa
Planejamento: Fernando Diniz, Louise Martins
Projetos: Marcos Yamamura, Patricia Sanches
Produção Gráfica: Marcos Moura, Géssica Sales, Pablo Félix e Durval Brum
BI: Marcelo Azevedo e Maria Troiano
Parceria: Produtora Digital: UmStudio Code & Motion
Apoio: Instituto Vencer o Câncer e Instituto Oncoguia
Motion Designer: Ricardo “R2” Martins

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald