As startups do setor de gamificação interessadas em participar do Pitch for Change, sessões de pitching (apresentações rápidas, executivas e vendedoras) que fazem parte do VII Festival Games for Change América Latina, precisam ficar atentas ao calendário. Termina nesta sexta-feira, dia 15 de novembro, o prazo para preencher o formulário de inscrição online. A rodada de pitching será acompanhada e validada por investidores e patrocinadores com interesse em associar suas marcas a projetos de inclusão e transformação.

Uma das atrações da São Paulo Play Week, maior evento brasileiro voltado ao segmento de jogos e games de impacto social, promovido pelo grupo de pesquisa e extensão Cidade do Conhecimento da USP, de 28 de novembro a 8 dezembro, o VII Festival Games for Change América Latina tem como principal objetivo viabilizar a aproximação de startups voltadas à criação de aplicativos, jogos e games de temáticas inclusivas com os fundos de venture capital, fintechs e investidores-anjo em busca de parcerias com desenvolvedoras de jogos.

O Festival, que vai ocorrer entre 5 e 8 de dezembro, em São Paulo, é uma parceria com a renomada aceleradora de startups G4C – Games for Change Accelerator, de Nova York, e tem apoio da Abragames (Associação Brasileira das Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais) e das aceleradoras BNDES Garagem e Liga Ventures. 

Motivos não faltam para investir no segmento de games. O setor movimentou US$ 1,5 bilhão (aproximadamente R$ 5,6 bilhões) no País em 2018, de acordo com a Newzoo, principal empresa de pesquisa do ramo. O Brasil já é o principal mercado da América Latina e está em 13º no ranking mundial.

Inclusão

O Pitch for Change visa a dar visibilidade e legitimidade inéditas a jogos brasileiros que possam contribuir para campanhas mundiais como a MIL CLICKS e a Education for Justice da ONU. Alinhada com essa proposta, a Abragames concedeu ao evento o Selo de Apoio e Incentivo à Diversidade em suas três categorias: Diversidade de Gênero, Racial e LGBTQI+. Os Selos atestam que a organização do evento conta com pessoas que representam essas três minorias e que há interesse por parte da organização em fazer dele um evento com público diverso. Esse também é um incentivo para que as empresas adotem propostas de impacto social nos produtos a serem apresentados nos pitching, aumentando o interesse dos investidores. 

O processo está organizado em três fases. A primeira, que termina na sexta-feira dia 15 de novembro, é de pré-inscrição. Basta preencher o formulário online e indicar as características e objetivos básicos de cada projeto. Na segunda fase, serão selecionadas as propostas mais consistentes com a agenda da rede mundial Games for Change. As empresas poderão então confirmar seu interesse fazendo a inscrição definitiva (será cobrada das empresas e projetos selecionados uma taxa de inscrição de R$ 100). A partir desse momento, serão selecionadas as propostas que poderão ser apresentadas durante o VII Festival Games for Change América Latina, nos dias 5 e 6 de dezembro.

A comissão julgadora terá a participação de Margaret Wallace, gestora da G4C — Games for Change Accelerator, e especialistas em mercado de games da aceleradora de Nova York.  Os critérios para a seleção incluem startups que, além de utilizar o conceito de gamificação, fomentem a economia criativa e causem impacto social e pessoal transformadores. Um exemplo são propostas que utilizem jogos, games ou brinquedos para criar um modelo de negócios disruptivo, que promova a inclusão, a acessibilidade e a diversidade.

 “Do ponto de vista do investidor, trata-se de entrar em mercados emergentes no campo do entretenimento com a segurança de avaliações e apoios ao desenvolvimento que se alinham aos valores de sustentabilidade, diversidade, acessibilidade e justiça, portanto, ampliação do impacto e redução de riscos dos investimentos”, afirma Gilson Schwartz, coordenador do grupo de pesquisa Cidade do Conhecimento da USP, responsável pela realização da São Paulo Play Week.

No dia 8 de dezembro, no encerramento da São Paulo Play Week, serão anunciados os vencedores, que terão vários benefícios. Entre eles, apresentação dos projetos no Games for Change Festival, em Nova York, em 2020, e mentoria da equipe de pesquisadores, desenvolvedores e centros de pesquisa associados, tais como a rede “Playable Cities” (Universidade de Coventry), o laboratório ICCA (Universidade de Paris) e outros.

Os projetos vencedores também serão encaminhados para a Abragames, tendo como objetivo a certificação com o selo Diversidade –as propostas de jogo deverão contemplar impactos que atendam aos requisitos de diversidade da Abragames ou aos valores de Acessibilidade, Diversidade e Justiça da São Paulo Play Week. Além disso, serão integrados à plataforma de criptomoedas da Cidade do Conhecimento, ou seja, cada projeto poderá contar com o selo “Cidade do Conhecimento” e integrar uma biblioteca global de jogos de impacto.

 

Clique aqui para pré-inscrições. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald