Ontem, 5, o Roda Viva entrevistou o jornalista Bruno Torturra e o produtor cultural Pablo Capilé, ambos idealizadores do grupo Mídia Ninja, coletivo de jornalismo que vem dando o que falar e inflamando discussões sobre os futuros da produção de notícias.

O Adnews recorta abaixo dez frases representativas do bate-papo. Confira também o vídeo completo da entrevista no fim da notícia.

"Mídia Ninja é uma sigla que significa Narrativas Independentes, Jornalismo e Ação." – Bruno Torturra, sobre o significado do nome.

"A gente faz jornalismo sim. Acho até curioso que ainda é uma dúvida se o que a gente faz é ou não jornalismo." – Bruno Torturra, respondendo se o Mídia Ninja faz jornalismo ou não.

"O PSDB tem como política não dialogar com os movimentos sociais" – Pablo Capilé, sobre os apoios de partidos.

"Dependendo do partido é cartel, dependendo do partido é quadrilha" – Pablo Capilé, sobre a postura da grande mídia.

"Seria mais honesto se ela assumisse uma parcialidade" – Pablo Capilé, sobre a imparcialidade da grande mídia.

"Não acredito que exista um arauto da imparcialidade" – Pablo Capilé, sobre o mesmo assunto.

"A grande mídia precisa entender que a nova objetividade vem da transparência" – Bruno Torturra, sobre a objetividade.

"Não somos organizados pelo PT. Não somos financiados pelo PT" – Pablo Capilé, sobre o suposto apoio do PT.

"É uma pauta que a mídia não tem coragem ou não tem estudo suficiente para entrar como deveria" – Bruno Torturra, sobre a postura da mídia frente ao assunto drogas.

"A mídia, em geral, tem muito medo de assumir a obviedade do fracasso da guerra às drogas" – Bruno Torturra, sobre o mesmo assunto.

Veja a entrevista:

Redação Adnews

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald