Se por um lado o merchandising é uma ferramenta interessante para promover marcas e produtos, por outro, quando executado ao vivo ele traz os seus riscos para as empresas e os apresentadores, como qualquer outro conteúdo. A última gafe do gênero aconteceu nos últimos dias de dezembro e, talvez por esse motivo, não tenha se tornado tão popular na web.

O apresentador Sikera Duarte apresentava o "Plantão Alagoas", na TV Alagoas, quando subiu numa motocicleta para fazer "merchan" para a marca Shineray. Entretanto, ao terminar as suas falas e tentar sair da moto, o apresentador se desequilibrou e caiu.

Confira esta e outras gafes do gênero abaixo:

Confira o vídeo:

Durante o programa católico "Bem-vindo Romeiro", na TV Aparecida, o padre, que apresenta o programa, chamou uma apresentadora para fazer o "merchan" de um produto. Porém, para surpresa geral, ela erra o texto e inconformada solta um palavrão.

O que esperar do merchan que propõe aos participantes o desafio de tomar dois litros do refrigerante Frutilla de uma só vez? A cena do apresentador passando mal dá o tom do desastroso resultado.  

Quem não se recorda do merchandising de guaraná Antártica, que valia a prova do anjo no BBB? Com a participação do ex-jogador Ronaldo, garoto propaganda da marca, os participantes tinham que jogar um dado em um tabuleiro para saber quantos copos de refrigerante teriam que beber. Como a quantidade era grande, os participantes faziam caretas e reclamavam sem parar.

Batista Pereira, do noticiário policial "Chumbo Grosso", da TV Goiânia/Band, interrompeu um merchan e parte de seu noticiário, pois uma barata estava subindo em sua perna.

Redação Adnews

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdPublicidade

+ Ver mais

Nostalgia: a volta dos colecionáveis Tazos pela Lays

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdEducation

+ Ver mais

Quarentena ocasiona overload de cursos gratuitos

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald