No Dia do Podcast no Brasil, 21 de outubro, haverá muito o que comemorar. Lançado há mais de 15 anos, o formato caiu no gosto dos brasileiros, que vêm aproveitando o smartphone e o tempo no transporte público ou em atividades domésticas, por exemplo, para consumir programas, bate-papos, aulas e outros conteúdos em áudio. O movimento não é só no Brasil. Segundo o Spotify, de abril de 2017 a abril de 2018, o aumento no número médio de ouvintes diários de podcasts na plataforma foi de 330%, no mundo inteiro. Por aqui, esse boom pode ser comprovado pela produtora Half Dealf, que nos últimos nove meses passou de 124 mil ouvintes para 286 mil e produziu mais de 23 programas de podcasts, já ouvidos mais de 20 milhões de vezes, sendo 10 milhões apenas via Spotify.

“O podcast está se tornando um hábito do brasileiro, que se identificou com o formato”, diz Lucas Patrício, CEO da GMD, agência de marketing digital criadora e responsável pela Half Deaf. “Com o conteúdo em áudio, é possível fazer outra atividade física ou manual. Muita gente ainda faz academia, por exemplo, ouvindo música, mas muitos já substituíram por outros conteúdos de entretenimento ou aprendizado”, reflete Lucas, lembrando que isso abre uma frente também para anunciantes, que podem incluir os podcasts em seus planos de comunicação e marketing.

Segundo ele, algumas empresas ainda se mostram resistentes à utilização de podcasts para fins de marketing, mas esse comportamento também tende a mudar na medida em que se conhece o perfil do ouvinte e seu engajamento com o formato. “Na Half Deaf, sabemos quem são nossos ouvintes e os dados mostram um equilíbrio entre os sexos, e maior audiência entre os jovens adultos. Das mais de 20 milhões de reproduções, 53% foram feitas por mulheres e 47% por homens, sendo que 59% dos ouvintes têm idade entre 18 e 27 anos, e 28% entre 28 e 34 anos”, explica. Quanto à retenção média dos programas, ou seja, o percentual escutado de cada episódio, é de 61,75%.

Entre os programas que compõem o acervo da Half Deaf  estão o Projeto Humanos, com Ivan Muzanzuki, que narra a história de crimes brasileiros sem solução, Imagina Juntas, com Jéssica Grecco, Carol Rocha “Tchulim” e Gus Lanzetta, sobre a vida dos millenials que estão tentando ser adultos, Donos da Razão, com Fernanda Catania “Foquinha” e André Brandt, que aborda dilemas e discussões da vida de casal, Revolushow, Papo Torto, Anticast e muitos outros. Além disso, produziu o primeiro podcast original para o Spotify Brasil, o K-papo, que aborda o universo da música pop coreana e pautas sociais, como feminismo e empoderamento

Para mais informações sobre a Half Deaf e seus podcasts, visite o site

 

Como ouvir os podcasts da Half Dealf

Os podcasts da Half Deaf estão disponíveis em diversas plataformas. Eles podem ser acessados pelo celular e tablet, por meio de aplicativos específicos para áudio, como Spotify, Deezer, Castbox, Apple Podcast e Google Podcast. Basta baixar o app, procurar por Half Deaf e pelo podcast desejado e dar o play. É possível ouvir um episódio em streaming ou fazer download e ouvir offline onde e quando quiser. Também podem ser ouvidos no computador pelo site ou diretamente pelo navegador de internet (como Google Chrome, Internet Explorer e Mozilla Firefox).

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald