“2017 foi um ano bom para a Africa, fomos contra todas as previsões do mercado. 2018 foi ainda mais produtivo, se tornando o melhor ano da nossa história” conta Sergio Gordilho, copresidente e CCO da Africa. A agência, criada em 2002 e que iniciou seus trabalhos num modelo único no mercado publicitário – atuando num formato similar ao de uma consultoria e integrando em sua estrutura uma sala específica para cada marca atendida – hoje está posicionada em 3º lugar no ranking de maiores agências segundo o Ibope Monitor.

“Quando a Africa foi criada, não tínhamos ideia de que seríamos tão grandes. Nossa intenção sempre foi ter um trabalho customizado e para poucas marcas, mas fomos evoluindo e conquistando mais espaço dentro dos nossos próprios clientes, o que nos fez chegar a essa posição de hoje”, completa Gordilho. Mesmo em um biênio desfavorável no cenário econômico nacional, a agência conseguiu equilibrar o período com sucesso entre novos negócios e premiações, o que a fez ser também considerada a melhor agência em 2018 pelo estudo Agency Scope: entre os 13 atributos avaliados pela consultoria, foi a primeira no somatório das categorias, além de ser a Africa a líder em nove deles.

Já no cenário criativo, a Africa se destacou como a melhor representante latina no festival Cannes Lions 2018 (com 1 Grand Prix, 2 leões de ouro, 7 de prata e 4 de bronze) e também ocupou a 8ª posição como a mais premiada do mundo. Além disso, o projeto “MyGameMyName”, feito em parceria com a Vivo, trouxe o primeiro leão de prata para o Brasil em Glass Lions, a mais alta premiação nesta categoria que o país já recebeu. A agência ainda foi a melhor brasileira no El Ojo (com 3 Gran Ojos, 18 Ouros, 18 Pratas e 11 Bronzes).

“Depois dos dois melhores anos de nossa história, a gente resolveu não ficar parado. Estamos reinventando nosso modelo de negócio como parte de uma evolução. É um redimensionamento da Africa que mantinha uma sala para cada marca dentro da agência, para um 2019 em que teremos uma agência Africa para cada cliente”, comenta Marcio Santoro, copresidente e CEO da Africa.

Com núcleos segmentados e com atuação centrada em performance e dados, as Africas atuarão de acordo com as necessidades de cada marca. São seis as novas Africas: Africa Sports Bar and Beer, Africa Finance, Africa Tec, Africa Foods, Africa Comportamento e Africa Corporate e Varejo. O ponto central é ter times afinados às demandas e ao perfil da conta e do respectivo segmento. Cada unidade tem um conhecimento profundo do mercado, e exclusividade das pessoas que estão trabalhando em análise de dados e criação, e um Project Management Office exclusivo.

Para valorizar a busca e interpretação de dados que já vem sendo amplamente utilizada nas estratégias das marcas, a agência anuncia a chegada de Filipe Botton como Diretor  de Conteúdo, especialista em creative data. A agência também fortalece a Africa Projetos Especiais, liderada por Monique Lima, com crescimento orgânico do núcleo em 100%, investindo num segmento que traz projetos com propósitos e causas, que buscam soluções efetivas por meio de mapeamento de informações e plataformas inovadoras, com Inteligência Artificial e algoritmos.

Agile

Na orquestração de todas essas mudanças, a Plano – consultoria especializada em Agile, gestão, tecnologia e inovações – foi contratada para auxiliar na organização de processos que preparasse cada Africa a um atendimento customizado, dinâmico, flexível e com alta produtividade.

“Nossa ideia ao chamar a Plano foi nos treinar para agilizarmos as respostas e garantir um modelo com uma execução mais efetiva das campanhas. Hoje já estamos atuando neste formato, que alia os clientes a núcleos de negócios e com nova dinâmica de atendimento personalizado, inclusive estruturalmente”, acrescenta Santoro.

Africa Fast Track

“Queremos continuar liderando as mudanças do mercado. Por isso, estamos fortalecendo também a área de produção. Teremos também a divisão por núcleos, mas trazendo agilidade e as transformações que o nosso negócio necessita, num formato similar aos que as agências digitais já fazem”, conta Gordilho.

Para isso, o processo de produção de RTV ganha reforços para ser mais eficiente ainda com as demandas urgentes no ambiente digital. A área não só passa por um reforço de profissionais, com novas contratações, mas também com a criação de um subnúcleo chamado Fast Track, sob responsabilidade de Renata Sayão, respondendo diretamente ao diretor de produção, Rodrigo Ferrari.

Os grupos de atendimentos aos clientes com perfis semelhantes também são inseridos na produção de imagens e filmes, mas agora todas as equipes podem estar envolvidas na Fast Track, que trará produções mais simples, com custos menores e menor tempo de produção, mas com a qualidade Africa de sempre.

Talentos

Como parte dessas mudanças, Carolina Boccia, que desde 2011 ocupou o posto de Diretora Geral de Atendimento das marcas Ambev e BRF, assume a Vice Presidência de Operações, abraçando em seu escopo a atuação a todos os clientes da casa. Estabelecer uma visão focada na eficiência dos processos-chave da agência será seu grande desafio.

“Talento é feito para ser reconhecido e voar. E incentivamos voos cada vez mais altos. Esse é o nosso lema, historicamente reconhecemos e valorizamos talentos na agência. A promoção da Carol é reflexo disso. Uma profissional brilhante e leal que merece ser reconhecida pelo excelente trabalho que desempenha com a gente há anos”, afirma Santoro.

Outros talentos também assumem novas posições como PMOs exclusivos de cada Africa. São elas Ana Hasegawa, com 9 anos de trabalho na agência, liderará a  Africa Tec; Cintia Hachiya, talento que está há mais de 12 anos na Africa é a nova PMO de Foods; a Africa Corporate e Varejo segue sob o guarda-chuva de Claudia Almeida, que está há mais de 12 anos no Grupo; Comportamento fica sob liderança da PMO Veronica Gordilho, há dois anos na casa; e Africa Sports, Bar and Beer está sob responsabilidade de Heloisa Pupim, talento há 9 anos na casa.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo