A fri.to venceu a concorrência promovida pela Sodebo e se tornou a nova agência digital da multinacional francesa de comida pronta. Fundada em 1973, está desde 2015 atuando no Brasil, oferecendo alimentos refrigerados e frescos.

A fri.to estreou os trabalhos com a Sodebo com uma campanha que dá ênfase ao appetite appeal dos produtos, promove ações geolocalizadas voltadas a vendas e também adota o marketing de influência. A fri.to primeiramente pesquisou o mercado em que a Sodebo está inserida. “Detectamos que ela tem concorrentes indiretos, que chamamos de outros grupos estratégicos, tais como comidas congeladas, massas instantâneas, saladas, delivery, fast food, que apesar de não serem concorrentes diretos, atraem a atenção do consumidor”, conta Rodrigo Siqueira, Head de Planejamento, da fri.to.

Feito esse mapeamento, a agência iniciou uma pesquisa quantitativa para entender o consumidor desse tipo de produto: o que ele pensa, as ocasiões que saboreia os produtos e os horários mais pertinentes para o consumo da PastaBox, das pizzas e também dos sanduíches. Foi possível, então, detectar as afinidades e dores do consumidor, além de oportunidades para o negócio.

Assim, com base principalmente no appetite appeal para atrair os olhares do consumidor em relação aos produtos da Sodebo, foi construída uma plataforma que contempla diferentes canais de mídia. Ao falar do apelo do sabor dos produtos, Rodrigo Siqueira lembra que 100% dos molhos e das massas são feitos pela Sodebo, assim como os pães. No total, 82% de todos os ingredientes são feitos pela própria marca, a fim de garantir um controle minucioso quanto à qualidade dos produtos.

“Com relação à plataforma, é claro que sempre vamos considerar Facebook e Instagram, mas entendemos que uma mídia mais inteligente, com ações baseadas em geolocalização, será fundamental para, primeiro, privilegiar o parceiro, o lojista que vende Sodebo, e também fazer uma aproximação de relacionamento, mostrando que de fato a empresa se preocupa com quem vende”, diz Rodrigo Cunha, Head de Mídia.

Além da atividades geolocalizadas com foco em vendas e ações em mídias sociais, a campanha também passa pelo marketing de influência. “Neste caso, queremos mostrar algo feito de forma espontânea, inserido no dia a dia dos influenciadores, e não com os influenciadores posando para aquela foto clássica de propaganda, com a pessoa e o produto, porque entendemos que isso hoje não vai convencer as pessoas a experimentar algo novo.” Comenta Marina Tumolo, Diretora de Operações.

Por isso, a fri.to colocou em prática a utilização dos stories para os influenciadores mostrarem que o produto está inserido no dia a dia deles. “Não fica algo forçado, em que a base de seguidores entenderia que aquilo ali é uma mídia paga. Então, tomamos um cuidado enorme para que o produto, na hora em que for usado pelo marketing de influência, seja apresentado de forma natural e espontânea no dia a dia deles”, afirma.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdPublicidade

+ Ver mais

Nostalgia: a volta dos colecionáveis Tazos pela Lays

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdEducation

+ Ver mais

Quarentena ocasiona overload de cursos gratuitos

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald