Em 1978, o ativista político e o designer Gilbert Baker criou duas bandeiras, pintadas e costuradas à mão, com oito faixas coloridas (rosa, vermelho, laranja, amarelo, verde, turquesa, azul e violeta) para serem um símbolo positivo que uniria gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. O símbolo recebeu o nome de Pride Flag (bandeira do orgulho) e foi apresentado naquele mesmo ano em São Francisco.

A aceitação da bandeira junto à comunidade LGBT+ foi ótima  e os organizadores da Parada do Orgulho de São Francisco determinaram que ela poderia ser um poderoso ícone para guiar todo o percurso do evento em 1979, com quatro cores de um lado da rua e quatro cores do outro.

Com 10 mil dólares e 400 pedidos para produzi-las à mão, Baker começou o trabalho. Mas a empresa que o ajudava a confeccionar as bandeiras não conseguiu fabricar tecido rosa suficiente, e ele teve que retirar a cor. Para fazer uma divisão uniforme para o desfile, ele também removeu o turquesa.

40 anos depois, a bandeira de seis cores permanece o símbolo global da união da comunidade LGBTQIA+.

Para celebrar o impacto de Baker e relembrar o seu legado, a Nike em parceria com o Gilbert Baker Estate, trabalharam juntos para criar a coleção BETRUE de 2019. Pela primeira vez toda a coleção, com tênis, roupas e acessórios, apresenta a bandeira original de oito cores, além de outros toques e símbolos de orgulho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald