Como uma espécie de piada interna, numa roda de publicitários, costuma-se se dizer que a Coca-Cola praticamente patenteou o conceito de "felicidade" na propaganda e fez dessa palavra o DNA de sua comunicação. Agora, sete anos após o lançamento da assinatura "Open Happiness", para evitar o desgaste, a marca criou um novo posicionamento global.

Com "Taste the Feeling" ou "Prove o Sentimento" na tradução, a Coca-Cola volta a colocar o produto no centro de seus comerciais, sem deixar de lado a sua abordagem humana e emocional. "A grandeza da Coca-Cola reside no fato de que é um prazer simples, de modo que quanto mais humilde formos, maior seremos. Queremos lembrar as pessoas sobre o porquê elas adoram o produto tanto quanto amam a marca", disse o CMO da empresa, Marcos de Quinto. No fim das contas, o direcionamento é bem básico: celebrar a experiência de beber uma Coca-Cola gelada.

Além disso, numa grande mudança estratégica, a indústria de refrigerantes anunciou hoje (19), num evento em Paris, que pela primeira vez vai unir todas as marcas, incluindo a Coca-Cola Zero, no mesmo projeto de comunicação. "A ideia é reforçar que a Coca-Cola é para todos", disse o executivo.

Para lançar a campanha no âmbito global, diversas agências já começaram a criar as peças para todas as mídias, incluindo os comerciais de TV. Entre elas, Mercado-McCann, Santo, Sra. Rushmore e Oglivy & Mather. No Brasil, o lançamento ficou sob responsabilidade da J.Walter Thompson e a Mutato, que também é uma agência do grupo JWT, produziu um trabalho especial para a plataforma de comunicação em tempo real da Coca-Cola. Ao todo, são 20 vídeos de 15 segundos chamados de "Thirstygrams", que serão veiculados no Instagram da marca em vários países. 

Confira abaixo alguns dos primeiros comerciais da nova proposta da gigante das bebidas. O primeiro deles abre a nova série. Já o segundo, conta com um detalhe especial: o cover de "Under Pressure", de Queen e David Bowie.

Redação Adnews

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald