A The Body Shop, rede inglesa de cosméticos naturais, recebeu um grupo de três meninas selecionadas pela organização não-governamental Plan International Brasil, que defende os direitos de crianças e adolescentes em diversos países do mundo, para ocuparem o cargo de Karina Meyer, diretora de marketing da The Body Shop Brasil, durante o Dia Internacional da Menina, celebrado em 11 de outubro, data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011, para evidenciar situações de violência e discriminação vividas por meninas ao redor do mundo.

A ação faz parte do projeto #MeninasOcupam, da Plan International Brasil, que tem como objetivo promover a igualdade de gênero e o empoderamento de futuras mulheres. A The Body Shop se associou à causa por meio de uma parceria global com a organização, para fomentar o desenvolvimento de meninas nos países onde a marca atua, inclusive no Brasil.

“A The Body Shop foi fundada por Anita Roddick, uma mulher ativista, e portanto o DNA da marca não poderia ser diferente. Lutamos pela igualdade de direitos e oportunidades para meninas e mulheres e, junto com a Plan International Brasil, queremos chamar atenção para as barreiras que as meninas enfrentam para acessar seus direitos, principalmente no que diz respeito à educação e, consequentemente, ao mercado de trabalho”, explica Karina.

No dia 11, Camila, Laís e Maria Marta, que têm respectivamente 18, 19 e 19 anos, e integraram projetos da Plan International Brasil na zona sul de São Paulo, acompanharam Karina em diversas atividades que fazem parte da agenda real da executiva. No início do dia, elas foram recepcionadas pela equipe da The Body Shop Brasil com um café da manhã, e participaram de um tour pela sede da empresa, conduzido por Karina, para conhecer todas as áreas.

Além disso, elas estiveram presentes em uma reunião de treinamento de produtos, que consiste em discutir como alguns lançamentos de 2020 foram apresentados para treinar as equipes de lojas. As meninas testaram os itens apresentados e opinaram sobre as melhores formas de apresentá-los aos consumidores e gerar uma experiência em loja. No período da tarde, elas visitaram uma unidade da marca junto com a Karina, para entender como é o funcionamento de uma unidade e lá tiveram contato com as ativações da marca previstas para o Dia da Menina, dentre elas, a distribuição de um jogo da memória com figuras de mulheres icônicas como Anira Roddick, fundadora da The Body Shop, Tarsila do Amaral, Maria Bonita, Frida Kahlo e Malala.

Mundialmente e no Brasil, a marca vem iniciando uma parceria com a Plan International, que será intensificada durante a campanha de Natal, com ações que visam construir um futuro mais igualitário, dando oportunidades e direitos iguais para meninas atingirem seu potencial máximo.

“O #MeninasOcupam é uma iniciativa poderosa que traz em si a possibilidade de mostrar à sociedade toda a potência das meninas. Ocupando o lugar de pessoas responsáveis por liderança e tomada de decisão, elas usam essa oportunidade para tornar visíveis as barreiras que as meninas enfrentam para acessar seus direitos”, completa Cynthia Betti, diretora-executiva da Plan International Brasil.

As meninas provam a cada dia que, quando têm oportunidades, vão mais longe. Um exemplo é a educação. No Brasil, as mulheres têm anos a mais de estudo do que os homens e são responsáveis por 49% da produção de pesquisas científicas do país. Por outro lado, mais de 700 milhões de mulheres no mundo de hoje se casaram antes de completar 18 anos. Todos os anos, cerca de 16 milhões de meninas com menos de 19 anos de idade tornam-se mães.

Em 2018, a Plan International Brasil realizou cerca de 50 ocupações que contaram com a participação de 550 meninas ocupando cargos de liderança. No mundo, foram mais de 1 mil ocupações em 70 países. Neste ano, além da capital paulista, o movimento será realizado na Bahia, Maranhão, Piauí, além do Distrito Federal. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald