Já é de conhecimento de muitas pessoas o quanto o Futebol Feminino do Corinthians vem crescendo. A notoriedade das atletas já chegou na mídia e muitas já receberam e continuam a receber propostas bem avaliadas pelo seu desempenho. O time feminino, exclusivamente do Corinthians, foi criado em 2018 e de lá para cá tem inspirado o clube a trazer mais novidades. Vindo nessa mesma direção, a administração do clube, decidiu criar em Maio de 2019, a categoria Sub-17 feminina. São 30 atletas que já estão com competição marcada. Além, claro, das disputas tradicionais no próximo semestre Campeonato Paulista e Campeonato Brasileiro – que já estão no calendário.

A primeira disputa será a Nike Premier Cup, referência mundial em torneios de base. A Minds English School estendeu o patrocínio para a equipe de base do Corinthians e já nesse primeiro torneio terá a logo estampada na camiseta das jogadoras. A nova equipe vem treinando diariamente e se preparando para esse primeiro desafio.

O aporte realizado pela rede de inglês ainda não foi divulgado. “O Corinthians é uma grande família e por estarmos com patrocínios e apoios há mais de 2 anos só cresce a nossa satisfação de apoiarmos também as jovens jogadoras. Trata-se de ser uma oportunidade de todas mostrarem o seu talento”, comemora Renato Garcia, Diretor de Publicidade da Minds.

Atualmente quem é Fiel Torcedor tem 40% de desconto no curso de idiomas em todo o Brasil. Não é apenas em São Paulo. Esse valor pode ser obtido em uma das 70 escolas nas 5 regiões do país. Além desse incentivo, a rede de inglês também já concedeu algumas bolsas de estudo para o clube de base do Corinthians.

Além do time feminino do Corinthians, a Minds já patrocinou o Palmeiras, Santos e Portuguesa, todos do Estado de São Paulo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

AdArticles

+ Ver mais

Artigo: OOH com DNA de inovação

por Gabriel Sousa

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald