Laurelena Palhano, de 40 anos, notou uma grande oportunidade de empreendimento ao encontrar uma dezena de medicamentos fora do prazo de validade dentro de sua casa, justo quando precisava medicar a filha com urgência. Assim como 95% dos brasileiros, a  empresária e o marido mantinham o hábito de fazer compras mensais em farmácias para formar um estoque caseiro, mas acabavam desperdiçando os remédios, que perdiam o prazo de validade.

Cerca de 11% dos medicamentos armazenados em casa se encontram fora do prazo de validade. Diante dessa estatística, Laurelena  pesquisou ferramentas que pudessem auxiliar no controle da farmacinha caseira e, notando a ausência de soluções, criou o

mediList

Aplicativo que pretende ajudar usuários a organizar o estoque e consumo de remédios de uma família. Além disso, é possível armazenar prontuários médicos, buscar remédios cadastrados por meio de código de barras e adicionar lembretes para acompanhar tratamentos.

Evitando desperdício

Poucas pessoas têm conhecimento dos prejuízos causados ao meio ambiente, com o descarte incorreto de medicamentos e inclusive, que as cartelas e frascos também podem estar contaminadas.

Para Laurelena, o descarte de medicamentos por perda de tempo hábil para consumo gera um grande impacto ambiental, principalmente no caso  de antibióticos, que são altamente tóxicos à natureza. Com o aplicativo, é possível controlar quais remédios o usuário tem em casa e, assim, evitar compras desnecessárias e, consequentemente, reduzir o desperdício.

Atualmente o  aplicativo está  disponível para smartphones e tablets equipados com o sistema operacional Android. A partir do segundo semestre de 2019, mediList se expandirá como marca, lançando a versão Premium do aplicativo, que será disponibilizado também para empresas e para o sistema IOS.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald