O Li-Fi tornou-se a mais nova tecnologia que compromete o tão conhecido Wi-Fi. A transmissão de dados por raios de luz, antes, era inimaginável. Agora, com os estudos do professor e presidente das Comunicações Móveis da Universidade de Edimburgo, Harald Hass, que atualmente também é co-fundador da pureLifi, empresa especializada na nova tecnologia é possível prover Internet da lâmpada! O pioneiro no assunto começou a espalhar a notícia de que aquilo viraria um fenômeno, a partir, de 2010 quando as suas pesquisas já se tornavam interessantes, e propunha financiamentos para seu avanço.

O Li-Fi funciona com lâmpadas de LED’s, já que as mesmas são condutoras de energia. Em um ato de ligar e desligar, acontece a transmissão, em menos de segundos. A frequência é imperceptível para os sentidos humanos.

O interessante da ‘Visible Light Communications’ (CLV) é que pode funcionar até 100 vezes mais rápido do que o Wi-Fi convencional. Porém, já que a transmissão do Wi-Fi é feita por ondas de rádio, a interferência ainda pode ser contida, já com o ‘Light Fidelity’, termo também imposto por Harald, a tecnologia se limita a um cômodo, pois os raios de luz não ultrapassam barreiras como paredes, por exemplo.

Uma boa vantagem é, em questão de segurança virtual, para termos uma suposta invasão em seus dados e redes a tecnologia limita esse tipo de acidente, já que o ‘hacker’ necessita estar no mesmo espaço de sua atual localização.

No ambiente mundial tudo isso ainda é muito novo! Os primeiros testes aconteceram na França, porém, uma das filiais da empresa Philips, em Varsóvia, já implantou o Li-Fi para testes no cotidiano de uma empresa. Conforme o tempo foi passando, as empresas continuaram os testes e foram entendo mais sobre a nova revelação.

A maior velocidade até então relatada, é no Instituto Hertz Fraunhofer, na Alemanha, as lâmpadas puderam transmitir quase 3 Gb/s. Para ilustrar melhor, com a distância de 2 m entre um computador e outro, é possível chegar a 500 Mbps. Agora, caso a distância aumente para 20 vezes mais, a distância ainda pode chegar em 100 Mpbs.

Ainda não está tão popular, já que para se conectar é preciso de dispositivos que tenham sensores específicos, mas já temos a promessa de empresas como a de Samsung para que as futuras gerações tenham os dispositivos para o novo Li-Fi.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdEducation

+ Ver mais

Quarentena ocasiona overload de cursos gratuitos

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald