A Melissa, marca de caçados e acessórios que são a sensação no Brasil, continua inovando! Mas não é só em questão de proutos, desta vez, a marca continuou sua estratégia que já vem do primeiro semestre de 2019: a sua integração omnichannel. As organizações estão promovendo um relacionamento melhor com seu público, construindo series de modalidades de compras, em lojas físicas e virtuais, de forma orquestrada.

O desenvolvimento de ferramentas como essa garante uma das principais premissas da Melissa: o consumidor no centro. Com mais de 330 franquias espalhadas por todo o Brasil, a marca de calçados pertencente ao grupo Grendene, foi um desafio integrar diversos varejistas que formam toda a cadeia Melissa. Foi realizado um grande trabalho de mudança estrutural e adoção de tecnologias especialistas em gerar sinergia entre os canais online e offline.

As funções disponíveis para o cliente nas modalidades de Omnichannel na Melissa:

Prateleira infinita: venda realizada em um ponto físico, permitindo que o cliente retire em outra loja física ou receber a Melissa em sua casa por meio do estoque do e commerce;

Retirar na Loja: o canal de e-commerce irá permitir que o consumidor opte por receber o produto em casa ou retira-lo na loja mais próxima a ele;

Entrega expressa: quando houver disponibilidade de estoque em lojas próximas a ele, a loja poderá enviar a Melissa nova para seu endereço de destino.

Eles estão equipados com softwares de PDV e tecnologia omni: Caixa Fácil, Check-out Mobile e OMS (Order Management System) da SetaDigital que assegura as necessidades para um atendimento integrado, eficaz e eficiente.

É claro que as vendas já deram certo. Só no mês de dezembro de 2019 foram registradas mais de duzentas vendas no formato omnichannel. Ainda, o sistema não foi migrado por completo, porém, a previsão é de que todo o processo seja finalizado em março de 2020. É esperado que até a data todos os Clubes Melissa já estejam operando no formato omni.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdEducation

+ Ver mais

Quarentena ocasiona overload de cursos gratuitos

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald