Em 2010 uma garotinha russa chamada Liza Fomkina, de apenas cinco anos de idade, se perdeu na floresta. O início das buscas foi tardio e, quando a menina foi finalmente encontrada, no décimo dia, já não havia mais o que fazer, pois ela estava morta. O mais impressionante é que ela morreu no nono dia, consequência de uma hipotermia. Isso significa que as coisas poderiam ter sido diferentes se a mobilização acontecesse um pouco antes.

A partir daí nasceu a LizaAlert. A entidade defende que um dos fatores mais importantes para avaliar as chances de salvar uma criança desaparecida é o tempo que se passou do desaparecimento até o início das buscas e pesquisas necessárias para encontrá-la. Muitas pessoas acham que só é possível denunciar um caso de desaparecimento após três dias do ocorrido, quando na verdade as primeiras 48 horas são as mais importantes para que o caso termine bem.

Para fazer com que as pessoas tomem consciência disso, a agência Twiga, de Moscou, colocou no centro da capital russa uma instalação impactante: uma ampulheta gigante de vidro com uma boneca muito real dentro. Conforme as horas passavam, a areia da parte de cima da ampulheta caia sobre a garotinha. A ação emocionou o público na rua e gerou muita mídia espontânea.

Confira abaixo o vídeo case:

Redação Adnews