Na semana passada se encerrou um dos períodos mais importantes do mercado do varejo: a Black Friday. Segundo uma pesquisa realizada pelo Magis5, hub de integração para gerenciamento e vendas nos marketplaces, sobre os principais dados da Black Friday, no período de 26 a 30 de novembro, aponta que esta foi a primeira edição liderada pelo e-commerce. A pesquisa foi feita com base em cerca de 100 mil pedidos realizados no período. 

De acordo com o estudo os itens mais procurados na Black Friday de 2020 foram: Casa, Móveis e Decoração (19,28%), Informática (10,79%) e Calçados, Roupas e Bolsas (7,08%). Além disso, a empresa também mapeou os marketplaces com maior volume de vendas, confira agora a lista dos varejistas que mais venderam:

 

1° Mercado Livre

Ocupando a liderança dos que mais venderam na Black está o gigante Mercado Livre, que atingiu 34,46% de volume de vendas. A empresa ofereceu grandes descontos, em forma de juros mais baixos, para pequenos vendedores do seu marketplace.

 

Shopee

A plataforma de comércio eletrônico singapurense Shoppe, entra para o segundo lugar das que mais venderam esse ano com 24%. A marca que já é líder no sudeste da Ásia e Taiwan, fez sua primeira campanha de Black Friday no Brasil esse ano.

 

3° B2W

A gigante brasileira especializada em e-commerce B2W, dona das marcas Lojas AmericanasShoptime Submarino, atingiram 23,13% do volume de vendas entre o mercado de marketplace. 

 

Magazine Luiza

Mais uma brasileira entrando para esta lista, desta vez a varejista Magazine Luiza com 7,2%. Como estratégia de vendas a marca promoveu o maior evento de compras do ano para o e-commerce brasileiro. 

 

5° Olist

Com 1,4% entra também para os lideres no marketplace a Olist, startup paranaense que conecta pequenos lojistas a grandes marketplaces. Além disso, ela permite a gestão centralizada de vendas, finanças e logística.

 

Em relação ao número de pedidos realizados, o levantamento da Magis5 diz que houve um crescimento de 74,18%, em comparação à semana anterior à Black Friday. Quanto ao faturamento dos marketplaces, o aumento foi de 87,21%. Quando comparado ao mês anterior (outubro), o aumento no número de pedidos foi de 49,28% e, no faturamento, 31,72%.