Lucroft, Demi, Sabrinoca e Nicky Mitrava, são as integrantes do clã que vem quebrando padrões na plataforma de streaming da Nimo TV. Com talento de sobra, o Clã Buíque, estreou na plataforma a pouco mais de um ano e está fazendo o maior sucesso. Tivemos a oportunidade de conversar com essas jovens que nos contaram como tem sido a trajetória e como enfrentam os preconceitos.

Apaixonadas por games, desde a infância, elas contam que o primeiro contato com os jogos foram por plataformas de console. “Eu sempre fui uma criança que preferiu jogos eletrônicos do que brinquedos, depois comecei a ter contato com jogos de PC e fiquei ainda mais viciada, e daí pra frente conheci o streaming”, conta a gamer, LuCroft.

Mesmo tendo esse contato com os jogos desde cedo, quando perguntado se elas imaginavam que poderiam fazer do streaming uma profissão, elas dizem que não, “Porque quando começamos a jogar pensamos que a única forma de ganhar dinheiro é sendo profissional nos jogos, como no e-sports. Então, quando eu comecei a fazer stream e vi que dava certo, foi tudo par mim! Nunca imaginei que dava para levar a vida com stream.”, relata uma das jogadoras, Sabrinoca.

O nome do grupo, Clã Buíque, surgiu de uma brincadeira entre elas, “falávamos que iríamos para o Buíque, em referência a um presídio que tem em uma cidade, com o mesmo nome, em Pernambuco”, conta Demi, sobre o inicio do clã que se formou dentro de um servidor de GTA V RP (modalidade de jogo que permite que os participantes criam suas próprias histórias). 

Mercado de Streaming

As meninas dizem estar otimista com o mercado, principalmente, por causa da ascensão de lives em decorrência da necessidade de manter isolamento social. LuCroft diz que as pessoas estão valorizando mais o mercado agora: “Acredito que o cenário de Live Stream vai ser cada vez mais levado a sério. Por mais que seja um momento difícil, vai marcar positivamente no futuro para nós porque agora tem muitas marcas e pessoas importantes começando a fazer Live Stream e vendo que é um mercado muito forte”.

Apesar disso, o mundo game ainda é um ambiente muito estereotipado e com muitos preconceitos, o Clã vem como uma forma de quebrar essas barreiras. Já a introdução da equipe na plataforma encontra-se a frase: “Aqui preconceito e intolerância não tem vez”.

“É um caminho que ainda tem muito que ser caminhado, mas atualmente a gente já conseguiu ter uma visibilidade maior. O que a gente consegue ver é que quem faz [conteúdos voltado ao público LGBTQIA+] são pessoas que já estão ali desbravando e está cada vez mais levando essa bandeira para frente e dando visibilidade para a causa, que é o que está por trás de todo o conteúdo.”- diz a cantora, compositora, streamer e youtuber, Nicky Mitrava, quando perguntada sobre os produtores LGBTQIA+ de conteúdo de entretenimento.

A fidelidade e apoio dos fãs é o que mais motiva as meninas a continuarem mesmo com alguns haters. Elas dizem o público é extremamente fiel, “compra nossas brigas, estão na causa junto com a gente”, e afirmam que fidelidade é a palavra que define eles.

“Tem mensagem negativa mas também tem muita coisa boa que a gente recebe. Pessoas mandando mensagem dizendo que ajudamos em crises de depressão, que passou por momentos difíceis com ajuda da gente e às vezes não temos noção disso, não podemos imaginar que a nossa live seja o momento bom de alguém que esteja passando por um milhão de problemas.” conclui LuCroft, sobre o feedback dos fãs.

Além disso, as meninas afirmam que a Nimo deixa disponível uma ferramenta de banimento e administra as lives para bloquear perfis com discurso de ódio e intolerância. As meninas relatam isso com muito orgulho da plataforma e a Sabrinoca complementou dizendo que quem entra nas lives para xingar ou ofender deve ser silenciado mesmo e que não devemos dar voz para esses discursos de ódio.

Inspiração e influência

“Quanto mais a gente cresce mais responsabilidade social a gente tem de quando e o que podemos ou não falar, porque a gente acaba tendo responsabilidade com mais pessoas. Desde que começamos, eu acho que todas nós tivemos um crescimento grande, então acaba que a responsabilidade que nós tínhamos antes hoje em dia é muito maior e temos que tomar muito mais cuidado”- LuCroft.

O Clã Buíque reconhece a influência e a responsabilidade que elas têm, e encaram a experiência como aprendizado para elas também. E dá como dica para quem está iniciando na carreira de streaming que trabalhe com o que goste e “se divirta” não se preocupando com números no inicio mas sim com a qualidade do conteúdo.