Como a internet e a imprensa foram trolladas durante o Enem

Dois casos de estudantes trapalhões, na verdade, eram falsos
Durante os dias 26 e 27, a internet sofreu uma enxurrada de conteúdo sobre o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Mas nem tudo que correu a rede era verdade.
 
Uma notícia tratava do "atrapalhado" Leonardo Sodré. Provando que não há limites para a brincadeira, o rapaz resolveu postar uma foto de um cartão resposta em seu perfil do Instagram. A imagem que correu a internet brasileira exibia o seguinte comentário do estudante:
 
 
O uso das hashtags fora do contexto já era meio suspeito. O problema é que alguns blogs reproduziram a imagem como se fosse verdade. Mais tarde, o garoto utilizou o mesmo perfil para explicar que tudo foi premeditado
 
Outras fotos mostravam o próprio MEC respondendo aos usuários na rede social de fotografias, algo que também não é oficial, já que o ministério não possui perfil por lá.
 
Outro caso foi do estudante Flávio Renato de Queiroz, 20, que, aparentemente, chegou atrasado para fazer a prova. Na verdade, o rapaz queria chacotear uma universidade rival. 
 
"O objetivo era zoar o Mackenzie, que é o nosso principal adversário no Economíadas [tradicional competição universitária]. Por isso, cheguei no local de prova e já comecei a gritar 'Não quero fazer Mackenzie, que é a minha segunda opção'", disse ao UOL.
 
Redação Adnews
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Post anterior

A influência da propaganda para as marcas Top of Mind

Próximo post

Você prefere ajudar ou ser ajudado?

Posts Relacionados