A Danone se tornou signatária dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs, na sigla em Inglês) do Pacto Global e da ONU Mulheres. O anúncio foi feito durante encontro realizado na sede da companhia na capital paulista, que reuniu líderes da companhia e representantes de sustentabilidade e recursos humanos de empresas de São Paulo. O evento também marcou a apresentação da estratégia global da Danone sobre Diversidade Inclusiva e abordou a pauta no âmbito nacional.

“Faz muito sentido nos unirmos à ONU. Compartilhamos da visão dos WEPs de criar, promover e incentivar práticas empresariais bem-sucedidas que orientam as corporações a trabalhar elementos-chave para a promoção da igualdade entre homens e mulheres”, explica André Rapoport, Head de RH da Danone.

Para liderar o debate durante o encontro, a Danone convidou Mafoane Odara, pesquisadora e especialista nas áreas de juventude, saúde gênero e raça, Adriana Carvalho, gerente de Projetos da ONU Mulheres, bem como André Rapoport e Juliana Bussamra, Head de RH e Gerente de Diversidade e Inclusão da empresa de alimentos, respectivamente. Cada um contou um pouco sobre sua experiência com o tema e sua opinião sobre o que tem acontecido no mercado corporativo brasileiro.

“Ser um dos parceiros da ONU em prol do empoderamento feminino vai ao encontro do nosso propósito de reunir nossos colaboradores e criar uma atmosfera em que se sintam aceitos, queridos, reconhecidos e livres para expressar tudo aquilo que os torna únicos. Acreditamos que esta mistura de talentos com diferentes crenças, personalidades, orientações sexuais e histórias fomenta discussões interessantes e resulta em times mais fortes. Essa pluralidade também incentiva um olhar mais abrangente sobre as questões que envolvem o desenvolvimento de produtos e de experiência de marca, tanto com o público interno quanto com o consumidor final”, comemora Juliana Bussamra, Gerente de Diversidade e Inclusão da Danone.

Inclusão e diversidade são duas palavras que fazem parte do modelo de gestão da Danone, que acabou criando um conceito único para definir esse movimento interno: Diversidade Inclusiva. O seu intuito é criar uma herança de inovação própria que permite que cada colaborador da empresa faça parte das metas da companhia, tanto em um contexto global, quanto local. A Diversidade Inclusiva norteia o trabalho de todas as equipes e permite a constante troca de experiências e pontos de vista.

Esse mix de perfis é uma das ferramentas da Danone para sustentar o desenvolvimento de alimentos saudáveis que contribuam para a Revolução Alimentar. Este ideal se baseia na convicção de que as pessoas escolhem o mundo em que querem viver mediante o que comem ou bebem. Isso reforça a preocupação da empresa com qualidade e segurança alimentar em todas etapas de produção e também a incentiva a busca por mais iniciativas sustentáveis e inovadoras, dentro e fora de seus escritórios e fábricas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald