As empresas buscam cada vez mais por ferramentas que podem melhorar a experiência personalizada de compra dos consumidores. A forma com que as marcas se comunicam com seus clientes vem mudando ao longo dos últimos anos e a internet possibilitou uma mudança ainda maior e ganhou muita importância tanto para as marcas quanto para usuários.

A Cazamba, empresa de tecnologia em mídia, é referência na área de inovação no engajamento entre marcas e consumidores. A companhia possibilita que as marcas estejam mais próximas de seus clientes da maneira certa, com 100% de visibilidade e alta escala de definição, incluindo vídeos. Esses novos formatos possibilitam um monitoramento em tempo real de uma campanha e com serviços que aumentam a efetividade do engajamento com o público. Atualmente possuem cases com bons resultados de engajamento. Dentre elas estão: Spotify, Itaú, Samsung, Boticário, Honda, Nissan, Natura, Canon, Volkswagen, McDonald´s, Red Bull, HBO, Fox e Caixa Econômica Federal.

Para explicar um pouco sobre este modelo de negócio, André Freitas, sócio diretor de novos negócios da Cazamba, explica para o Adnews tudo e mais um pouco. Confira abaixo entrevista na íntegra:

A internet chega a ultrapassar os outros meios de anunciar atualmente? Como por exemplo, televisão, rádios etc?

Em termos de consumo por pessoa, a internet já é o meio mais assistido.  Em um estudo recente, descobriu-se que na América Latina a internet já representa 44% de todo o tempo gasto com consumo de mídia.  Já é quase o dobro do tempo gasto com televisão (aberta e paga).

No Brasil o consumo de vídeo digitais já é maior que o consumo da TV.  Descobriu-se que o brasileiro passa em média 5.5horas por semana assistindo TV, e passa 13.6 horas consumindo vídeos na internet.

A grande discussão na verdade é o que é internet e o que é TV.  Com o Netflix, Globoplay, dentre outros, o consumo televisivo mudou.  Agora o consumidor tem o controle sobre o conteúdo e seu horário.  Ele assiste o que quiser, quando quiserem aonde quiser.  A TV  “ao vivo” é que deverá sofrer com essas mudanças.

Quais são as estratégias mais utilizadas para engajar na internet? Tendo em vista que cada serviço é recomendado para um tipo de usuário.

O mundo digital trouxe uma possibilidade de engajamento muito maior para os consumidores.  O que antigamente era “one-way” como a TV aberta, agora é “two-way” recebendo input do usuário e abrindo conversas.  A integração do mundo digital também é muito maior, podendo trocar experiências com os usuários em várias telas, e em vários momentos diferentes.

O grande movimento que veremos agora no futuro próximo é o uso de inteligência artificial para entender melhor o comportamento dos usuários, a auxiliar empresas a interagir com os usuários.

Quais são os formatos mais visados no marketing digital? Poderia citar alguns exemplos baseados nos cases já existentes da Cazamba?

A pluralidade de formas de interação é o grande trunfo do digital.  Hoje pode-se criar formatos publicitários para atender o objetivo.  Essa é a mudança em que a Cazamba acredita.  Acreditamos que o formato, a publicidade, tem que se moldar ao propósito da campanha e da mensagem.

Na Cazamba somos especialistas em desenvolver publicidade diferenciada para atender a velocidade do criativo da agencia de publicidade.  Acreditamos que a mensagem não pode ficar restrita a um formato quadrado IAB.  Com isso no nosso DNA, desenvolvemos formatos especiais para vários clientes, integrando os serviços deles na publicidade como o caso de Spotify, e usando dados de clima geo-localizados para oferecer, ou não, sorvete para os usuários.

A mídia digital se prova mais efetiva que anúncios out-of-home, por exemplo? Por que?

Novamente não acreditamos mais em analisar pelo tipo de mídia, e sim pelo objetivo da campanha e da mensagem.  Out-of-home pode ser bastante efetivo para alguns tipos de propagandas, mas não é eficiente na entrega segmentada, e na customização para os usuários.  Não tem como mostrar conteúdos diferentes para pessoas diferentes em uma tela grande ou um ponto de ônibus.

Acreditamos que a mensagem sempre pode ter um “toque” personalizado, mesmo que tenha o target amplo. 

Sobre monitoramento, como a Cazamba lida com a proteção de dados? Como não ser invasivo e ser mais assertivo na hora de anunciar?

Por sermos uma empresa de tecnologia, seguimos com muito critério o uso de dados.  Não temos dados personalizados, e seguimos as melhores práticas de mercado para segmentação de conteúdo.  Por sermos uma mídia de alto impacto, temos regras internas de veiculação que garantem que os usuários não serão impactados demasiadamente nem em momentos inoportunos.  Todas as regras que seguimos visa a melhor performance de nossas propagandas.  Se o usuário se sentir desrespeitado, isso afetará diretamente a nós e ao nosso cliente.  Logo, não fazemos.

Há outra informação que acha interessante mencionar?

A TV ainda é a principal mídia no mundo.  Mas rapidamente vemos a internet se aproximar.  Hoje o consumo médio diário está em 164 minutos para a TV aberta, e 157 minutos para a internet.  Mas o crescimento da internet é exponencial enquanto a TV aberta está diminuindo rapidamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald