Pouca gente sabe, mas o Facebook não derrubou o alcance das fanpages. Muito menos, ele chegará a zero. Porém, é fundamental um conteúdo muito interessante para garantir sucesso. Hoje, vou contar a você 4 passos para extrair o melhor do potencial da sua página.

Não sou adepto de fórmulas mágicas. Para o marketing no mundo digital a receita é simples: planejamento, estratégia e teste, muito teste. Lembre-se: o Facebook não é microondas para você apertar um único botão e esperar o resultado.

1 – Planeje e faça um breve checklist antes de postar

Sempre tenha seus objetivos em mente e planeje conteúdos alinhados com eles: Seja vender um produto ou serviço, captar e-mails ou gerar interação dentro da rede, por exemplo.

Segundo o Facebook, cada usuário, em média, passa por 300 publicações ao baixar a barra de rolagem. Seu conteúdo tem que ser muito bom para fazer com a pessoa pare e interaja. Cada interação (curtir, comentário, compartilhar, clique na foto ou no link) rende pontos valiosos que aumentam o alcance do seu post.

Feito isso, responda estas 4 perguntas antes de publicar:

  •  Tem um ponto de atenção?
  •  Desperta o interesse de quem está lendo?
  •  Toca o seu público a ponto que ele deseje espalhar sua publicação?
  •  Tem um call to action alinhado com o seu objetivo?

2– Poste no melhor horário para a sua página

 

Há muitos estudos sobre o horário nobre do Facebook, porém eles são generalizados, podendo não funcionar com a sua página. Por isso, exporte os seus dados em Excel, abra o arquivo e verifique a última aba: "Daily liked and online".

Feito isso, basta somar os horários de dia de semana e os de final de semana isoladamente para encontrar os melhores horários. Com estes dados em mãos, lembre-se de postar sempre um pouco antes do pico e, verifique se as horas seguintes possuem uma queda brusca. O conteúdo permanece "quente" por cerca de 2 horas. Ex: Se às 22h você possui seu pico diário de pessoas online, mas às 23h 40% deste público sai do Facebook, procure postar as 20h ou 21h para otimizar seu alcance neste período de duas horas.

3 – Pagar para impulsionar não é pecado

No fundo, o Facebook é como o Google. Por isso, o Face Ads é como o Adwords, não é motivo de vergonha para ninguém. Além disso, a rede social do Zuckerberg tem a melhor segmentação do mundo, pois os usuários deixam todos os seus rastros na rede social. Você sabia, por exemplo, que dá para anunciar para pessoas que acabaram de noivar, pessoas que planejam viajar ou pessoas que moram longe dos pais?

Com pequenas verbas, você pode mostrar sua publicação com a certeza que terá uma interação. Lembre-se apenas de que este conteúdo tenha a ver com o seu segmento de negócios.

Os adolescentes, por exemplo, com tantas opções online, são mais difíceis de atingir com publicidade tradicional (incluo, inclusive, a televisão). Para se ter uma ideia, geralmente quando impulsiono alguma publicação meu custo é de R$0,001 por visualização. Para negócios regionais, por exemplo, R$5 a R$10 já garantem um grande resultado.

Para as franquias da Wizard do Guarujá, cidade da Baixada Santista, o link de artistas internacionais com o público jovem garantem um excelente resultado. Basta segmentar pelas fanpages de artistas teens e criar um vínculo com o inglês. Apenas R$5 foram responsáveis por 4.208 pessoas alcançadas. É importante ressaltar que as 74 curtidas que a publicação recebeu foram fundamentais para o sucesso.

4 – Conheça seu público

 

Uma ferramenta gratuita e muito poderosa do Facebook é o Graph Search (disponível somente se você configurar seu idioma para inglês).  Ele é uma espécie de Siri do iPhone que responde as mais diversas perguntas.

Com isso, consigo saber os gostos do meu público em geral. Sei que a ficha técnica da persona da Adnews, por exemplo, é mais ou menos assim:

  •   Filme: Laranja Mecânica
  •   Música: Chico Buarque
  •   Livro: Pequeno Príncipe
  •   Jogo: Bubble Witch 2 Saga

Bônus: Uma pimenta, sempre que possível

Se você tiver uma polêmica que não trará prejuízos a sua página, use e colha os frutos. A fanpage do aplicativo Boca de Urna, por exemplo, que é um aplicativo eleitoral é prova viva de que o Facebook não derruba o alcance das páginas. Afinal, são 14 mil de alcance orgânico contra 2.800 pessoas que curtiram a página. Por isso, culpe seu conteúdo, não a ferramenta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald