Uma versão de ‘Mein Kampf’ para combater a intolerância

Projeto da Ogilvy & Mather Berlim lançou 11 livros com histórias de vítimas dos discursos de ódio

O livro Mein Kampf, escrito por Adolf Hitler enquanto esteve preso, em 1924, ficou conhecido como a bíblia do ideário nazista. Mais de 90 anos depois de produzida, como não poderia deixar de ser, a obra ainda causa muita polêmica.

No começo deste ano, os direitos autorais do livro expiraram, o que significou a possibilidade da obra ser publicada novamente. Um prato cheio para contribuir com o discurso inflamado de movimentos intolerantes que surgem de forma assustadora em diversos países atualmente, incluindo os chamados "de primeiro mundo" da própria Europa.

Em um movimento contra o relançamento do livro, a Ogilvy & Mather uniu forças com a Gesitcht Zeigen!, associação que atua no sentido de combater o racismo na Alemanha, para lançar a campanha "Mein Kampf – gegen Rechts" ("Minha luta – contra o racismo", em tradução livre do português).

A ação conta a história de 11 pessoas que tiveram que lidar com a xenofobia, o racismo e outros tipos de intolerância em suas vidas, como Mosche Dagan, sobrevivente de um campo de concentração nazista, e a refugiada afegã Wana Limar. Os participantes deram depoimentos sobre o impacto que ideias como as de Hitler podem ter na vida de milhares de pessoas.

O livro "Mein Kampf – gegen Rechts" vendeu aproximadamente 11 mil exemplares na Alemanha e no site Amazon, onde alcançou o top 15 dos best sellers vendidos. Uma versão em inglês do projeto deve ser lançada em breve.

"Nossa intenção foi usar ‘Mein Kampf’ do Hitler para encorajar todos na Alemanha justamente a se levantarem contra o racismo diariamente em suas vidas. Usando todas as armas de uma agência de comunicação: criatividade, vigor e paixão. O resultado está na publicação do livro, uma campanha forte de PR, social media, out of home e impresso", declarou Tim Stuebane, líder do projeto e diretor executivo de criação da Ogilvy Berlim.

Tham Khai Meng, CCO e Co-Chairman da Ogilvy & Brasil Worldwide, falou sobre a importância de um trabalho como esse: "Em um tempo em que o mundo inteiro começa a balançar e os "pregadores do ódio" estão aumentando suas vozes, nós consideramos que é nosso dever lutar pela tolerância e por uma sociedade com a mente mais aberta.", declarou o executivo.

"A luta contra o racismo nunca acaba, ao que parece. Como esse projeto nos lembra, essa é a nossa luta. E isso se faz tanto com o uso da ‘velha’ e nova mídia", finalizou Mils Youn, chairman da Ogilvy & Mather.

Redação Adnews

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Previous Post

Viral da Disney traz Minnie conversando com menina surda por sinais

Next Post

SBT pede doação de sangue para personagem de novela

Related Posts