Há mais de 50 anos atuando no mercado de bebidas, a Arbor Brasil teve seus negócios alavancados após o crescimento exponencial da Catuaba Selvagem. Criada em 1992, e consumida por muitos anos em um contexto de bares de periferia,  obteve um sucesso repentino em 2013, tornando-se desde então objeto de desejo de todas as classes sociais, em âmbito nacional, sendo consumida em todos os tipos de eventos de rua, até eventos badalados na casa de famosos. Em sua categoria a marca se destaca por ser um produto cool e original.

Mirando nessa expertise de negócios da Catuaba Selvagem que se posiciona como uma marca inclusiva e transversal e que mesmo diante de todo o sucesso não mudou sua embalagem nem rótulo e manteve-se acessível a todos, a Arbor acaba de lançar mais duas bebidas. Uma delas é o Nirvana Gin, o primeiro gin saborizado e com preço acessível no mercado brasileiro e o Ousadia, vodka saborizada em embalagem de 500 ml. Com as novas bebidas, a empresa visa a garantir mais fatias dentro da categoria de produtos com 14% de teor alcoólico.

De acordo com um relatório fornecido pela Nielsen (Retail Index/ Junho 2018) a categoria de gin representava um crescimento de 191% nos últimos 12 meses no varejo, porém seu volume numérico ainda era muito pequeno tendo em vista o custo médio do litro ser R$61,83. Com o sucesso do gin entre as classes mais altas da população, houve queda no consumo de vodka premium, porém, a bebida se mantinha com um crescimento no mesmo período no varejo de 7%. Isso porque nos últimos anos ampliou-se a oferta de vodkas populares que seguravam o volume no varejo em cerca de sete milhões de litros.

“Diante deste cenário, surgiu o insight de criar um gin em garrafa de um litro com um valor próximo a R$ 10, mirando democratizar esta categoria. Fizemos isso quando criamos o Cantina da Serra, nos anos 90 e depois o Syn Ice, em 2002”. Afirma Anna Speroni, diretora de marketing da Arbor.

“Ao mesmo tempo, surgiu o outro insight de lançar uma vodka popular de 500 ml – fatia da categoria onde se encontram players muito populares e sem uma boa percepção de valor. Investimos em sabores diferenciados, uma em embalagem mais sofisticada, uma marca e com mais personalidade.” acrescenta Anna Speroni.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald