A A+E Networks Latin America é uma sociedade entre A&E Television Networks e Ole Communications. A companhia de mídia pelos canais A&E, History, Lifetime e HISTORY2. Os canais são distribuídos na América Latina, Brasil e Caribe pela HBO Latin America Group para operadores de TV a cabo e satélite, incluindo HBO, HBO Plus, Cinemax, Max, A&E, History, Lifetime, HISTORY2, Sony Entertainment Television, AXN, Warner Channel e E! Entertainment Television Latin America. Na quinta-feira passada, (30), aconteceu um evento para anunciar números relativos ao crescimento da distribuição dos canais, o aumento da presença e faturamento nas mídias digitais, a implementação do serviço on-demand, e as próximas produções locais Confira a entrevista com Raul Costa Júnior, general manager do grupo A+E Networks no Brasil:

Fale um pouco sobre o evento, a importância, e qual a estratégia de marketing das marcas? Neste caso, pose ser sobre o Upfront e também sobre a entrevista com a imprensa, ou ambos.

No dia 30 tivemos o Upfront 2020, um evento voltado às operadoras, para apresentar as novidades da programação para o próximo ano. Este encontro é o mais importante que temos todos os anos, pois também discutimos as estratégias que implementaremos juntos para o sucesso da nossa operação.

 Tivemos também a oportunidade de falar sobre estas e outras novidades com a imprensa especializada, discutindo um pouco sobre os novos desafios que temos para o desenvolvimento da nossa indústria.

 

Qual a estratégia usada para a disputa de audiência na TV? E para a disputa com o Streaming? 

Continuar trazendo e produzindo conteúdos relevantes e de excelente qualidade, seguido de uma boa estratégia de distribuição, facilitando para as audiências o acesso a tudo isso, para que eles possam curtir tudo o que temos para oferecer.

Mesmo diante de um cenário pouco favorável para o setor de TV paga nos últimos anos, o grupo vê uma grande oportunidade de crescimento.

Falando sobre conteúdos, estamos com um pacote bem agressivo de novidades para o próximo ano. Muitas das séries que já são destaque dentro da nossa programação regressam com novas temporadas e episódios. Mas também temos muita coisa nova chegando, muitas séries novas e, é claro, todo o pacote de produções originais brasileiras.

Em termos de distribuição, o grupo já está comemorando a abertura do sinal do canal LIFETIME, a partir de outubro, e por tempo indeterminado, para todos os clientes da Claro, assinantes de TV com serviço por cabo, fibra ou satélite. A distribuição do LIFETIME também foi ampliada para assinantes VIVO. Sem dúvida esta é uma grande oportunidade para o crescimento e fortalecimento da marca.

E o alcance dos nossos conteúdos promete ser ainda maior, considerando os apps, que foram lançados este ano, e também o lançamento do serviço on demand dos três canais.

Em novembro, o HISTORY lançará seu primeiro podcast; nosso objetivo é aumentar a relevância das marcas em todos os formatos, com foco no digital.

Mas é importante lembrar que a distribuição da TV paga no Brasil ainda é bem pequena se comparada com outros países, e já tivemos em anos anteriores uma distribuição mais robusta. E temos dados que relacionam este cenário mais aos aspectos econômicos do que ao serviço oferecido. Estudos mostram a importância da televisão dentro dos domicílios como fonte de entretenimento e que, apesar de hoje existir o uso diversificado, ainda é muito importante a oferta de conteúdos pelos canais lineares.

 

Qual a importância das mídias sociais e a estratégia usada? 

Antes, as redes sociais eram vistas mais como um apoio para as marcas. Porém, com o crescimento da sua penetração e ganho de relevância na relação com as audiências, percebemos que elas deveriam ser também um canal específico para a divulgação dos nossos conteúdos, respeitando as características próprias que cada uma tem e que diferem da TV por assinatura em forma, formato e audiência. Por isto adotamos uma nova estratégia de atuação, razão pela qual reestruturamos a área de digital, de forma a aproveitar o potencial de conexão das redes, tanto para a audiência como para os negócios.

Com isto, iniciamos agora em 2019 uma integração mais efetiva entre as áreas editoriais e comerciais.

Outro benefício que tivemos com este trabalho foi que, por meio dessa interação com a audiência, podemos entender melhor o comportamento de consumo, ajustar a programação, e melhorar a entrega das nossas marcas. Conseguimos compreender melhor os diferentes públicos. A audiência reage imediatamente, e para nós isso é muito valioso.

Importante registrar: hoje quando falamos de History, Lifetime e A&E não falamos mais de canais, mas sim de marcas que se tornaram multiplataforma, entregando o conteúdo de qualidade que a audiência quer ver – onde, como e quando quer assistir. Por isso, somos mais do que canais. Somos marcas que conversam e interagem todo o tempo com as audiências, que, por sua vez, procuram por informação, conhecimento e entretenimento de qualidade.

 

Qual o posicionamento da empresa, em relação a marketing, TV e redes sociais? 

Nosso maior compromisso é conectar. As pessoas às nossas marcas e aos nossos conteúdos. É aí que entra a importância de um marketing bem estruturado e planejado, que saiba se utilizar de todas as ferramentas para garantir a melhor performance dos nossos produtos. Precisamos constantemente provocar as audiências a entrarem nos nossos canais. E acessar as diferentes plataformas. Precisamos informar tudo o que estamos fazendo de novo, onde encontrar e como se entreter com isso. E, neste processo, todas as mídias disponíveis são fundamentais, cada uma cumprindo o seu papel.

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald