A música é capaz de atravessar fronteiras e fortalecer diferentes culturas pelos mais
variados estilos. Da mesma forma são com as cervejas que fazem história por meio dos sabores e tradições. Deixar um legado é algo que toda marca almeja fazer e, por isso, a cerveja Eisenbahn, que tem como característica a paixão e autenticidade na produção dos seus rótulos artesanais, decidiu apostar no projeto de lançamento de canções inéditas de Adoniran Barbosa, ícone do samba paulistano que, se estivesse vivo, completaria 11 décadas no dia 06 de agosto. Não por acaso, a partir desta data, as faixas estarão disponíveis no Spotify.
 

As inéditas que chegam na plataforma de streaming são: Bares da Vida, Careca Velha, Como Era Bom, Bolso de Fora, A Partida, Debaixo da Ponte, Vaso Quebrado, Feira Livre, Bebemorando, Dias de Festa e A Escola.

Além das músicas, há faixas comentadas de alguns artistas que participaram das músicas. Nos áudios, eles comentam sobre os bastidores e a beleza do processo de gravação. 

 
Alguns deles tiveram até que usar o armário para substituir a cabine de gravação. 
O projeto idealizado pela marca em parceria com a SUNO United Creators foi gravado totalmente de forma remota por conta da pandemia do novo coronavírus. Quem assina a produção musical é a DaHouse Audio sob curadoria do Coala Lab, núcleo de música e projetos do Coala Festival. “A primeira vista, só de olhar as partituras, já senti um frio na barriga. Pensar a produção de músicas que nunca foram cantadas, com versos de um autor tão grandioso como Adoniran Barbosa, foi desafiador. E lá veio o ano de 2020, com suas surpresas, para aumentar ainda mais meu nervosismo! Mas deu tudo certo e, mesmo a distância, o processo de produção foi feito com muito carinho à quatro mãos, seguindo o estilo do artista: foram feitas videoconferências para falar de arranjos e adaptamos as melodias seguindo o tom de cada um deles. Toda a direção, apesar de ter sido feita de forma virtual, parece ter surtido efeito, pois temos um disco que fervilha novidade e traz nosso amado compositor para vozes do nosso tempo.” explica o produtor do projeto, Lucas Mayer.  Confira abaixo as faixas de cada artista e escute aqui:
  • Bares da Vida – Zeca Baleiro (03:52)
  • Careca Velha – Di Melo (03:09)
  • Como era Bom – Illy (03:05)
  • Bolso de Fora – Rubel (02:54)
  • A Partida – AVUÀ (02:46)
  • De Baixo da Ponte – Barro (03:36)
  • Vaso Quebrado – Elza Soares (03:27)
  • Feira Livre – Amanda Pacífico (02:54)
  • Bebemorando – Francisco El Hombre (02:48)
  • Dias De Festa – Luê (03:03)
  • A Escola – Zé Ibarra (03:08)
Fizemos uma entrevista com a gerente de marketing da Eisenbahn, Karina Pugliesi, para entender mais sobre o projeto e compreender o intuito da marca ao trazer músicas inéditas de Adoniran Barbosa para fazer parte da ação da Eisenbahn. Confira na íntegra: 
 

 ADNEWS – Qual a ideia do projeto?
Karina Pugliesi:
A ideia foi destacar a beleza dos processos, o cuidado aos detalhes e a essência artesanal da marca Eisenbahn usando como tema Adoniran Barbosa. Ele, que é reconhecido por ser uma figura autêntica e original, se conecta facilmente com nossa marca e valores. Com o projeto quisemos mostrar que o resultado de uma boa música é fruto de muita atenção em todos os detalhes produtivos, desde a escolha dos intérpretes até a forma como a gravação será feita. É assim que produzimos nossas cervejas, de forma artesanal e olhando com muito cuidado para todos os detalhes do processo produtivo. Somos uma marca que apoia projetos que valorizam o fazer com paixão e cuidado, independentemente de serem projetos sobre cerveja, música, moda ou design. Nossa ideia principal foi reforçar esse posicionamento. 

AD –  Por que a Eisenbahn decidiu homenagear o sambista Adoniran Barbosa? De onde surgiu a ideia?
Pugliesi: Adoniran foi um artista icônico para o nosso país e reviver onze canções inéditas dele é, sem dúvidas, algo emblemático. Quando soubemos dessas canções inéditas vimos a oportunidade de deixar um legado como marca, mas também ressaltar o universo artesanal que é a essência de Eisenbahn. O apreço pelos detalhes e o fazer com paixão em todas as etapas do processo é a nossa maior inspiração. A marca e o artista além de terem o trem como imagem em comum, compartilham sentimentos semelhantes como autenticidade e originalidade, que vemos refletidos neste projeto. 

AD – Como a Eisenbahn conseguiu ter acesso à essas músicas inéditas do Adoniran?
Pugliesi:
Soubemos da existência das 11 músicas inéditas de Adoniran Barbosa por meio da agência Suno United Creators que estava em contato com a produtora DaHouse. Quando analisamos as  partituras reconhecemos que elas tinham uma grande importância para a cultura brasileira. A partir daí, vimos uma oportunidade de trazê-las para o público, reforçando nosso posicionamento de marca e, como consequência, garantindo uma entrega de projeto que honrasse o nome deste grande artista que foi Adoniran

AD – Quem são os parceiros dessa ação?
Pugliesi:
O projeto envolveu muitos parceiros por conta de sua grandiosidade. Pensamos em um time de peso que pudesse trazer expertise em suas respectivas áreas, mas que também levasse a essência da nossa marca. Contamos com a nossa agência de publicidade Suno United Creators, que foi responsável pelo conceito, aprovação e acompanhamento da produção junto a diversos parceiros como DaHouse, Coala Lab, Estúdio Bloco Gráfico, Produtora Santa Transmídia, entre outros. E também temos a agência LEMA que é responsável pelas nossas estratégias de comunicação voltadas à imprensa e influenciadores digitais.

AD – Dentre os artistas convidados há grandes nomes que são quase como um ‘patrimônio histórico’ da música brasileira, como Elza Soares e Di Melo, assim como tem nomes de artistas em ascensão da nova geração como a banda Francisco El Hombre e o cantor Rubel. Por que vocês fizeram esse mix de gerações?
Pugliesi:  Do mesmo jeito que o uso de diferentes tipos de lúpulo ou maltes engrandece a experiência com a cerveja acreditamos que diferentes misturas e personalidades enriqueceriam o projeto. Para a seleção dos músicos contamos com a curadoria do Coala Lab, que nos ajudou a trazer essa pluralidade que buscávamos. Temos bandas de diferentes estilos musicais e gerações que tornam o projeto mais democrático, o que também reflete a personalidade da marca Eisenbahn.

AD – Você acredita que as marcas de cervejas precisam repensar suas ações e vendas neste momento de incertezas dos bares e de impossibilidade de aglomerações como grandes festas e eventos?
Pugliesi: Sim, as marcas precisam buscar alternativas e formas de continuar levando arte, cultura e entretenimento para o público neste período que estamos vivendo. Em abril fizemos as lives gratuitas “Conteúdo de Mestre”, disponíveis no IGTV, junto com o Instituto da Cerveja Brasil no canal da Eisenbahn no Instagram, para continuar interagindo com nosso público e disseminando conhecimento cervejeiro. Outra proposta que trouxemos respeitando o isolamento social, foi este projeto de Adoniran Barbosa. Os músicos gravaram de forma remota, como adaptação a este momento de pandemia. Uma curiosidade engraçada é que alguns deles tiveram até que usar o armário para substituir a cabine de gravação. 

AD – Como foi o lançamento? E em quais plataformas o público pode ouvir as músicas inéditas? 
Pugliesi:
Este lançamento que aconteceu no dia 6 de agosto, data do aniversário de 11 décadas de Adoniran Barbosa, é algo muito simbólico para a cultura do país. A plataforma principal que estamos usando é o Spotify. Além das inéditas, também gravamos faixas comentadas dos artistas, para que eles pudessem contar para o público como foi o processo de produção e mostrar a beleza e o cuidado com o processo que, na maioria das vezes, acaba ficando só nos bastidores. Na faixa comentada do Zeca Baleiro, por exemplo, ele comenta que teve a ideia de adicionar um pires de louça com uma colherzinha fazendo o papel reco reco. Quisemos trazer estes fatos divertidos e curiosos que estão por trás das canções e que enriquecem enormemente o projeto e se conectam de forma muito genuína à marca Eisenbahn.