Linkedin aponta falta de representatividade entre Gen Z

Linkedin aponta falta de representatividade entre Gen Z

80% consideram o LinkedIn uma rede confiável e são o público que mais cresce demograficamente na plataforma

O LinkedIn, a maior rede profissional do mundo, realizou um estudo sobre o comportamento, os hábitos de consumo e os valores da Geração Z (1997 – 2012), trazendo dados sobre como este público se relaciona com as marcas.

Esta é a audiência que apresenta o crescimento mais rápido na plataforma e será a maior geração de consumidores, respondendo por R$164 bilhões a R$812 bilhões em gastos diretos.  De acordo com a pesquisa, apenas 21% dos membros dessa geração ao redor do mundo se sentem representados nas publicidades e 36% afirmam que as empresas deveriam fazê-los se sentirem mais valorizados. 

Altruísta e consciente, este público quer ser o melhor que pode e, dessa forma, vai optar por empresas que correspondam a isso também. Valorizar a sustentabilidade, a responsabilidade social e os feedbacks dos consumidores são pontos cruciais nesta busca por produtos e serviços.

A pesquisa apontou que eles são ambiciosos e almejam crescer constantemente, e as marcas que entrarem como aliadas nesta trajetória de desenvolvimento terão vantagens perante as demais quando o assunto é captar atenção.

Entre as principais exigências que regem seus hábitos de consumo, a confiabilidade das marcas é destaque para mais da metade dos membros da Geração Z globalmente. Além disso, 74% preferem economizar e esperar para comprar um produto de qualidade e 62% pagariam mais por um produto ambientalmente amigável.

De acordo com Ana Moises, Diretora de Soluções de Marketing do LinkedIn para América Latina: “Em breve, a Geração Z será o maior grupo de consumidores online em todo o mundo e, para conquistá-los, as marcas precisam começar a estabelecer relações com eles desde já, priorizando formas inovadoras e inteligentes de se posicionar. Não basta ter um discurso bonito, é preciso que existam ações efetivas tanto interna, quanto externamente”, afirma.

Consumo nas redes sociais

Considerada a primeira geração de nativos digitais, eles utilizam as redes sociais como o principal canal para a descoberta de novas marcas e analisam de forma criteriosa como elas se comunicam e qual tipo de conteúdo produzem nas redes. Os resultados da pesquisa mostram que os nascidos entre 1997 e 2012 preferem conteúdos que contemplem histórias reais, dicas de ferramentas, guides, questões sobre diversidade, ideias e inspirações. 

De acordo com o estudo, o número de likes e comentários positivos também são avaliados por eles no momento da compra, além de preferirem utilizar o botão “comprar” diretamente nas redes sociais. 

“No LinkedIn, 80% dos membros da Geração Z consideram a plataforma confiável, o que se reflete não só no tempo de uso, mas também no consumo de publicidade dentro da rede. A segmentação é importante porque possibilita uma identificação que vai além da linguagem, passando por abordagem, interesse e, claro, valores e propósito”, afirma Ana Moises.

Ainda no LinkedIn, a pesquisa mostra que mais de 15 milhões de profissionais da Geração Z da América Latina têm um perfil na plataforma, sendo que 56% deles estão no Brasil.

Os dados do estudo foram baseados em informações internas e externas: LinkedIn Internal Data – Latam Gen Z Audience, GWI Data 2021, Forbes “How Gen Z Is Bringing A Fresh Perspective To The World Of Work”, Microsoft’s Work Trend Index, Insider Intelligence eMarketer report: Generation Z News: Latest characteristics, research, and facts May 2021 e Global Web Index 2021.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Post anterior
Imagem Divulgação - Casimiro

Casimiro bate recorde em live de retorno a Twitch

Próximo post
A era de ouro do frango é feita de plantas, é NotChicken

A era de ouro do frango é feita de plantas, é NotChicken

Posts Relacionados