Em 2020, os vídeos tornaram-se uma escapatória do isolamento social, seja para fins de entretenimento, educação ou trabalho. Essa mudança brusca de comportamento do consumidor forçou as marcas a reinventarem suas estratégias de video marketing, práticas que terão reflexos em 2021. “Com o público ainda fragilizado pelo ano difícil, empresas devem investir em campanhas baseadas na transparência e no conteúdo personalizado para gerar aproximação e confiança”, afirma o produtor André Sobral, da Abrolhos Content. 

Seguindo esse pensamento, a Abrolhos preparou uma lista de sete tendências de vídeo marketing para 2021. Confira:

Marketing de influência, vlogs e lives

Acompanhar o dia a dia de outras pessoas na internet tornou-se uma fonte infindável de conexões e entretenimento, seja pelas mídias sociais, vlogs – terceiro tipo de vídeo mais popular da internet – e lives – que prendem três vezes mais a atenção da audiência que conteúdos gravados. Por isso, influencers e digital creators são importantes para a estratégia de marcas, já que atendem à demanda do consumidor de ter proximidade com quem os oferece algum produto ou serviço. Com a pandemia, o marketing de influência ganhou dimensões ainda maiores – pesquisa de novembro da Adaction, empresa de mídia digital, projeta que seu TAM (mercado total endereçável) baterá a casa dos R$ 10 bilhões em 2021.

Legendagem

No que diz respeito a conteúdo para redes sociais, um recurso para ficar de olho é a legendagem. Há muitos momentos em que assistimos vídeos sem áudio e seguimos apenas as frases da tela, voluntariamente – para não atrapalhar quem está do lado – e involuntariamente – as redes são otimizadas para automaticamente dar play em vídeos conforme navegamos. As legendas também são essenciais para a acessibilidade que, vale lembrar, é obrigatória por lei. 

Vídeos educacionais

Também continuará em alta no próximo ano os vídeos educacionais, de tutoriais ou de treinamento. Segundo o Think with Google, 65% das pessoas usam o Youtube para ajudá-las a solucionar um problema. Durante o isolamento, bombaram canais que ensinam exercícios, costura, cozinha, jardinagem e até dicas de economia. Assim, os vídeos de “como fazer” tornam-se terreno fértil para marcas experimentarem novos formatos de conteúdo e aproximarem-se do público. 

Vídeos longos ou super curtos

Também pela disponibilidade de tempo e interesse em conteúdos educacionais, cresceu este ano a audiência de vídeos mais longos, com duração média de 15 minutos. Isso indica uma outra opção para marcas, já que são esses que mais contam para engajamento, segundo pesquisa da Twentythree.net: 50%. Por outro lado, o extremo oposto também é uma estratégia vantajosa. Vídeos super curtos, entre seis e dez segundos, têm poucas chances de não serem assistidos por completo e instigam o consumidor a ir atrás de mais. 

Mensagem 

Dar atenção à duração do vídeo ou investir em grandes produções são pontos relevantes e merecem atenção na formulação das campanhas de uma marca. Contudo, 2020 consolidou que o fator decisivo para atrair o consumidor ultimamente tem sido a mensagem. Além da busca por histórias reais de pessoas com as quais possam se conectar, a audiência está mais atenta a discursos transparentes e verdadeiros e se determinada marca que segue compartilha seus valores. Assim, vale a pena investir tempo na criação e cuidados com o roteiro dos vídeos.

Temas sociais

Falando em mensagem, no próximo ano estará mais do que consolidada uma tendência que já vinha sendo construída: o consumidor está mais consciente e vigilante com temas sociais e ambientais. Saúde mental, igualdade, educação, mudanças climáticas e outras pautas tornam-se valores e refletem na escolha de marcas para seguir e consumir. 

Data-driven video

A forma mais eficiente de acompanhar e assegurar os interesses da audiência nas campanhas de video marketing é o uso de dados. Por meio do mapeamento e análise do comportamento dos principais clusters na internet, as marcas geram insights certeiros para criar conteúdos mais personalizados e segmentados. Em 2020, basear-se no big data foi essencial para tomar decisões com rapidez. Assim, em 2021, os dados serão um grande combustível para impulsionar a publicidade e os negócios.