Máxima, sentença, adágio, apotegma. Esses termos meio vetustos servem para descrever um dos mais ilustres gêneros literários: o aforismo, ou seja, a frase curta, a tirada de espírito, cheia de agudeza e ironia. São mais de mil frases para ler e reler em Frases Desfeitas, o primeiro PocketBook da Noir.

Frases Desfeitas é um volume com aforismos de humor selecionados e atualizados do escritor, publicitário e compositor Carlos Castelo. São mais de mil frases sobre temas que vão de comportamento à política, passando por redes sociais, o Brasil contemporâneo e suas mazelas e muito mais. O livro conta com ilustrações do cartunista Nani.

Castelo começou escrevendo frases no jornal O Matraca, periódico de humor que editava, nos anos 1980, na faculdade de jornalismo. Nele a seção de aforismos e máximas sarcásticas recebeu o nome de Abobrinhas. Em 2004, no portal UOL, criou o site de humor Castel-O-Rama, com crônicas, letras de músicas, poesia engraçada, limeriques e, mantendo a sua tradição de frasista, a seção Aboboral.

Já em 2006, depois de criar o perfil Casteladas, no Twitter, começou a produzir com maior regularidade as suas flechas de sarcasmo. No ano seguinte lançou seu primeiro livro apenas com aforismos: Orações Insubordinadas (Ateliê Editorial). Desde então vem sendo elogiado por sua produção por grandes nomes da literatura brasileira.

Luis Fernando Verissimo diz em sua apresentação de Frases Desfeitas: “Não vale dizer, sobre a escuridão que se aproxima: ‘Melhor, combateremos à sombra’. Primeiro porque a frase já foi dita. Segundo, porque a escuridão costuma vencer. Mas a frase, como se vê neste livro do Castelo, tem um adendo: ‘Melhor, combateremos à sombra… das palavras’. Palavras inteligentes são uma forma de resistência. Palavras inteligentes e engraçadas são invenciveis. Que venha a escuridão!”

Outro leitor de Carlos Castelo é o escritor José Roberto Torero. Afirma ele: “Eu não entendo como o cara consegue ser tão enxuto, tão resumido, tão sintético. Ele fala muito com muito pouco. É um paradoxo. Um Castelo minimalista.” O jornalista e biógrafo Ruy Castro é ainda mais textual em relação ao autor de Frases Desfeitas: “Quando eu quero rir e me irritar ao mesmo tempo, vou direto aos aforismos de Carlos Castelo.”

 

Sobre o autor:

Carlos Castelo nasceu em Teresina, no Piauí, em 1958 e mora em São Paulo desde 1961. Formado em Jornalismo trabalha no mercado publicitário, sendo vencedor de cinco leões no Festival de Cannes de Propaganda. Além da coluna Crônica por Quilo no jornal O Estado de S.Paulo, escreve a coluna Cadernos de Leituras, sobre livros, nas revista Bravo! Colaborou ainda com Playboy, Sexy, Jornal da Tarde, Exame, VIP, O Pasquim 21, O Planeta Diário, Caros Amigos, entre outros. É um dos fundadores do Língua de Trapo e participou como cantor e compositor nos grupos musicais Os Bandalheiros, A Outra Banda do Língua e Avenida Brasil, que tinham como integrantes os cartunistas Paulo e Chico Caruso, o escritor Luís Fernando Verissimo e os cassetas Cláudio Paiva e Reinaldo Figueiredo. Pela Noir pulicou também o livro Crônica por Quilo.

 

Frases Desfeitas

Mais de 1000 frases, aforismos e máximas para ler antes de morrer de rir

 

Editora Noir

Autor: Carlos Castelo

ISBN: 9788593675218

Edição 2019 / 256 páginas / PB

Valor: R$ 39,90

Formato: 11x18cm

Assunto: aforismos

Onde encontrar: www.editoranoir.com/frases-desfeitas

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdEducation

+ Ver mais

Quarentena ocasiona overload de cursos gratuitos

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald