A missão de enfrentar e conter um vírus não está sendo fácil, muitos profissionais da saúde estão se desdobrando para que a curva nos números de mortes e infectados diminua o mais rápido possível. Os civis continuam confinados em suas casas como podem para que a disseminação seja contida. E temos o Guilherme Thiago e sua equipe da Life Tech Engenharia que desenvolveram um capacete de respiração controlada, a BRIC. 

Para ser mais exato, a Bolha de Respiração Individual Controlada foi criada para ajudar na luta contra o inimigo invisível que ainda assusta o mundo com tamanha destruição. Guilherme Thiago, engenheiro e empresário, não obtinha domínio e conhecimento sobre a área da saúde e teve que se empenhar e estudar muito para o desenvolvimento do aparelho que tende a ajudar demais os funcionários nos hospitais de todo o país. 

Para promover um ambiente controlado entre capacete, respirador e outras pessoas em contato, o capacete, composto de um material resistente, ainda possui válvulas de acessos e um conector ligado a um ventilador mecânico que controla e mostra todos os sinais necessários aos médicos.  

Com todo seu processo de fabricação feito em São Paulo, a BRIC, após diversos testes, já está em seu modelo final e já vai começar a ser usada no Hospital da Clínicas, em São Paulo. E após a liberação da ANVISA, os resultados para o dispositivo brasileiro já traz grandes esperanças. No início do projeto, o engenheiro teve a ajuda de outros profissionais que incrementaram a ideia da bolha – que já havia sendo usada em um modelo parecido na Itália. 

Pensando em todas as probabilidades, o capacete ainda contém uma escotilha de acesso que tem o objetivo de socorrer e auxiliar no cuidado com o paciente. Guilherme ainda chama atenção para mais um fenômeno que podem acontecer durante o tratamento que pode ser evitado conforme o bom uso do capacete, o Efeito Aerosol, ou seja, a saída de partículas de dentro da Bolha para o ar de fora, por isso, a ideia de estanqueidade é frisada a todo momento durante o tratamento. 

O ADNEWS conversou com o Guilherme Thiago, através de uma vídeochamada, para entender um pouco mais de como funciona a BRIC por meio de um protótipo disponibilizado pelo engenheiro-chefe e sua equipe. Na entrevista, todo o processo de produção e instalação, os acessos, análise e monitoramento de pressão e vazão dentro do dispositivo, o planejamento de industrialização e exercício de simulações são levantados para o melhor entendimento da promessa desenvolvida pela Life Tech Engenharia.