As crises aparentemente não são boas para muitos, as estratégias para driblar todo o caos deve ser rápida e eficiente. Mas, para algumas grandes empresas, a crise global oriunda da pandemia que vimos neste ano de 2020 fez com que muitas empresas pudessem se reformular, acionar o seu lado criativo e dar a volta por cima. 

Recentemente, foi lançado o Brandz Global 2020, um ranking com as 100 empresas mais valiosas do mundo! Tivemos alguns destaques, surpresas e curiosidades, por isso nós separamos uma lista com o melhor dessa edição do Brandz Global. Confira: 

Logo de cara, o ranking lançado pela WPP e a Kantar anunciaram que a Amazon é a empresa mais valiosa do mundo, com um crescimento de 32% e alcançando cerca de US$ 415,9 bilhões. Vale lembrar que a primeira inserção da empresa no Brandz Global foi em 2006, e durante esse período a Amazon cresceu mais de 100 bilhões e representa, em média, um terço do crescimento total das 100 empresas do ranking. 

Atrás, ocupando a 2º e 3º posição, vemos a Apple e Microsoft, respectivamente. Por mais um ano consecutivo, a empresa de Steve Jobs se manteve como a segunda marca mais valiosa com crescimento de 14% e faturando US$ 352,2 bilhões. E retomando seu lugar, a empresa de Bill Gates voltou a terceira posição com um crescimento de 30% e um fundo de US$ 326,5 bilhões, ultrapassando a poderosa Google, que ocupa a 4º colocação com $ 323,6 bilhões.

O resultado nos mostra a ascensão da Microsoft após o inicio da pandemia, com uma mudança pontual e o amparo aos que tiveram que permanecer em casa e utilizaram ferramentas como o Office365 e o Microsoft Teams, para continuar os ‘negócios’.

Outro destaque para o ranking deste ano foi a primeira entrada da recém empresa TikTok, a plataforma de vídeos curtos e divertidos virou uma realidade e uma grande promessa para entreter o público carente de conteúdo durante esse período de distanciamento. A empresa chegou ao 79º lugar e acumula cerca de US$ 16,9 bilhões.

Além do TikTok, outras grandes marcas apareceram no Top 100 pela primeira vez como a UnitedHealthcare, que ocupa a 86º posição e um patrimônio de US$ 15,8 bilhões, o Bank of China, em 97º e US$ 13,7 bilhões, a Lancôme em 97º com US$ 13,6 bilhões e por último a Pepsi, em 99º com US$ 13,3 bilhões.

Uma outra realidade é o predomínio das empresas asiáticas no ranking, cerca de um quarto das Top 100, são 17 empresas chineses incluindo Alibaba e Tencent que estão no Top 10, e as duas empresas japonesas, a Toyota e a NTT. Do outro lado do globo, as potências americanas se destacam e representam mais da metade do ranking! 

A criatividade e a inovação são as tendências para a sobrevivência de uma empresa, porém um novo quesito entra no mercado nos últimos tempos: a sustentabilidade. Os materiais jovens com menos embalagens e mais produtos sustentáveis estão dando certo, e um belo exemplo é a Louis Vuitton com um crescimento de +10% e um caixa de US $ 51,8 bilhões, elevando a marca a 19º posição.