Todo brasileiro já nasce sabendo que pipoca e Guaraná andam juntos! E isso não é por ser algo óbvio, é quando as campanhas são feitas de forma tão impactante que acabam virando tradição. Se formos comentar sobre um jingle que marcou a história, não podemos deixar de reverenciar a composição “Pipoca e Guaraná” de César Brunetti. Feita para o Guaraná Antarctica em 1991, junto com a produtora de som MCR, a pedido de Nizan Guanaes que naquela época estava na agência DM9DDB. Assista abaixo vídeo da campanha original: 

O jingle criado para Guaraná Antarctica, “Pipoca e Guaraná” foi feito exatamente para nunca mais sair do subconsciente dos brasileiros. E acabou se tornando uma memória afetiva de muitos brasileiros, e ao longo dos anos ganhou algumas versões repaginadas como a campanha da Claudia Leitte de 2010, Verão e Guaraná. Nessa versão o jingle de 1991 sofreu uma mudança na letra e trouxe em sua composição a característica do ritmo musical da cantora. Assista agora: 

Cerca de 10 anos depois, para reforçar a importância do entretenimento em casa durante esse período de isolamento por conta do Covid-19, o Guaraná relança seu sucesso dos anos 90 em uma releitura pop com a cantora e atriz Manu Gavassi. 

O projeto foi idealizado e criado pela SOKO, agência líder de Guaraná Antarctica, com produção totalmente remota da Hungry Man. No intuito de despertar um sentimento nostálgico em todos nós, o filme traz mais do que a letra do jingle original na voz da Manu Gavassi, produzido integralmente de forma remota. Ele também junta pedaços da cultura da época como bambolês e macacões jeans. 

Feito totalmente durante essa quarentena, o vídeo foi dirigido virtualmente, enquanto a Manu transformava seu apartamento em cenário e seu celular em câmera. Mantendo todos seguros durante seu processo de produção. 

                                                                                                                                                                       

Guaraná Antarctica transformou Pipoca e Guaraná em toda uma ação durante a quarentena. “Queremos levar mais diversão para quem pode ficar em casa e criamos uma plataforma de entretenimento. Liberamos conteúdo gratuito na plataforma de Telecine por 60 dias para os fãs de cinema; transmitimos shows dos anos 90 no Festival Pipoca e Guaraná para arrecadar doações para os catadores de materiais recicláveis; e agora relançamos o jingle e o filme com uma releitura super atual”, conta Pedro Thompson, diretor de Marketing de Guaraná Antarctica. 

A Soko, agência que está à frente da comunicação de Guaraná Antarctica desde janeiro, idealizou e executou todo o projeto, que também apresenta uma identidade visual nova: um ícone que mescla os formatos da pipoca e dos frutos de guaraná. O design ilustrará alguns produtos especiais, como moletom, meias e balde de pipoca, que serão divulgados por influenciadores nas redes sociais. (Sou só eu que já quero todos?)

 

Entrevistamos o Rafael Alves, Líder de Creative Data da SOKO, para entender como foi idealizada a campanha, seu processo de criação e todo o trabalho por de trás do projeto “Pipoca e Guaraná”. Confira abaixo na íntegra: 

 

ADNEWS – De onde surgiu a ideia de recriar a campanha antiga se mantendo fiel ao original?

Rafael Alves: Nesse contexto do isolamento social, entendemos que no jingle “pipoca e guaraná” existia um sentimento que resumia muito bem o que fazemos de melhor quando estamos em casa: sentar no sofá, escolher o filme, estourar uma pipoca e tomar um Guaraná. Além da música acionar a memória afetiva de muitas gerações e gerar um sentimento positivo instantâneo e tão bem-vindo neste momento, temos profundo respeito por tudo que a campanha de 1991 representa para a publicidade, e achamos que o melhor a fazer seria homenageá-la mantendo o jingle como ele foi pensado para ser.
 
AD – O jingle foi renovado anteriormente na campanha da Claudia Leite com “Verão e Guaraná”, dessa vez percebemos o valor dado a versão original da marca. No Brainstorm, surgiu a ideia de mudar o jingle ou vocês já começaram a campanha pensando na versão de 1991?  

Rafael: Desde quando surgiu a ideia, tínhamos certeza que não mudaríamos a melodia ou a letra. Sabemos do poder nostálgico desse clássico e queríamos ele ao nosso favor. Claro que entendíamos que precisávamos trazê-lo para 2020, adicionando elementos da cultura popular vigente para que as novas gerações pudessem também se identificar e cantar a música para sempre.
 
AD – A regravação do Jingle, foi feita acompanhada da original? A escolha da Manu partiu da Guaraná ou da SOKO?

Rafael: O jingle foi gravado já na nova base que criamos com a Hefty. A escolha da Manu Gavassi partiu da Soko, depois de entendermos com clareza que ela oferecia ao projeto, além de uma voz incrível, carisma e impacto nas redes. Temos uma metodologia de análise de influência e aprendemos que faz muita diferença trabalhar com nomes como a Manu que, mais do que audiência e engajamento, têm fandom. Quando o talento escolhido tem fandom, o potencial de earned media de uma ideia é muito maior.
 
AD – Como o vídeo vem compor a campanha Pipoca e Guaraná? Podemos esperar algo mais dessa campanha?

Rafael: “Pipoca e guaraná” se tornou uma plataforma de marca. E, como tal, tem diferentes manifestações. Começamos o aquecimento no dia das mães, oferecendo 60 dias de Telecine grátis com o código PipocaEGuaraná, e realizamos recentemente o Festival Pipoca e Guaraná com um line-up que também causava nostalgia. O filme é o início da campanha. Nele já temos algumas pistas de outras coisas que virão pela frente, como a coleção-cápsula com a marca “pipoca e guaraná” que aparece no moletom, meias da Manu e balde de pipoca, por exemplo.
 
 
AD – Como foi criado? 

Rafael: A Soko adota um processo de criação muito harmônico. A criação na agência se chama “Creative Data”, porque contempla a união de habilidades de inteligência de dados com criação. O processo é sempre tocado por um time multidisciplinar, com redatores, diretores de arte, designers, planners, especialistas em PR e dark social. Todos têm voz ativa em cada etapa do processo e consideramos todos criativos.
 
AD – Ele tem um toque de “Em casa”, o intuito foi trazer o comercial para a situação de agora de todos os brasileiros?

Rafael: Sem dúvidas. No fim, “Pipoca e Guaraná” é uma grande metonímia para aproveitar da melhor maneira possível esse momento em que precisamos de fato ficar em casa. Esse pensamento passa desde às ações – como lives e desbloqueio da Telecine -, como pelo filme que foi produzido remotamente. Por isso assinamos o filme com “feito em casa” que se transforma em “fique em casa”.
 
AD – A escolha das roupas e objetos foi no intuito de trazer uma pegada retrô e ao mesmo tempo moderna, como vocês pensaram nisso?

Rafael: O projeto partiu de um estudo extenso de design para a criação da plataforma de marca “pipoca e guaraná”. Nesse momento, definimos o logo da plataforma que combina os elementos de pipoca com o fruto de guaraná, a paleta de cores própria, tipografia e traço de ilustração, por exemplo. Então quando briefamos a Hungry Man, o universo visual a ser construído já estava muito claro para todos. A intenção não é ser retrô, mas equilibrar o sentimento nostálgico com um apelo atual. Do bambolê ao tik tok. Precisávamos garantir que quem viu o filme em 1991 e também quem nem era nascido nessa época se sentissem igualmente incluídos e parte dessa história. Isso transborda no vídeo, que mescla elementos pop, quase surrealistas, com momentos de família no sofá, objetos vintage e takes clássicos de appetite appeal.

Ficha técnica da campanha

Guaraná Antarctica

Pedro Thompson: Diretor de marca

Daniel Silber: Head de marca 

Alexandre Lemos: Gerente de marca

Vitoria Lima: estagiária

 

SOKO, agência criativa

Fundador e Head de Creative Data: Felipe Simi

Head de Design (SOLID): Diego Limberti

Diretor Executivo de Creative Data: Rafael Caldeira

Líder de Creative Data: Rafael Alves

Planejamento: Alessandra Pacheco

Redator: Ayslan Monteiro

Redatora: Isabela Marangoni

Diretor de Arte: Juan Portilla

Diretora de Arte: Yumi Shimada

Diretora de Arte junior: Carol Cevdar

Data Scientist : Matheus Facci

Data Scientist: Bruna Coelho

Especialista em Dark Social: Kaerre Neto

 

Head de Operações: Brisa Vicente

Diretora de Atendimento: Renata Cintra

Gerente de atendimento: Maria Marianno

Líder de Operações: Larissa Kubo

Produtora: Tatiana Lima

Produtora: Daniele Moura

 

Fundador e Head de Media & Influence: Pedro Tourinho

Broadcaster: Maria Eduarda Fortes

 

Produtora de vídeo: Hungry Man

Diretor: Carlão Busato

Managing Partner: Alex Mehedff

Diretora Executiva: Renata Corrêa

Produtor Executivo: Rodrigo Castello

Business Affairs: Íris Gil

Diretor Executivo de Criação: Fabio Pinheiro

Line Producer: Mariana Barbiellini e Bea Couto

AD: Mariana Barbiellini e Luigi Parisi

Diretor de Fotografia: Fernando Bertoluci

Diretora de Arte: Olivia Helena

Efeitos e produto: Miranda Gibin

Head de produção: Luciana Martins

Coordenadora de Produção: Debora Lemes

Produção: Suzana Moraes e Juliana Costa

Head de pós-produção: Rodrigo Oliveira

Pós-produtora: Octopost Post Production

Pós-produção: Equipe Hungry Man

Montador: Vítor Amorim

Color Grading: Marla Color Grading

 

Produtora de Áudio: Hefty

Produtores: Edu Luke, Otávio Cavalheiro, Gustavo Boselli  e Rud Lisboa

Atendimento: Debora Carvalho e Daniella Cabaritti

Coordenação: Cristiane Oliveira