Mulheres ciência e tecnologia

Mulheres ocupam apenas 20% dos empregos em Ciência e Tecnologia no Brasil

Estudo da CIPPEC revela que as mulheres estão entre 31 e 40% dos formados em C&T no Brasil, Argentina e México, mas poucas trabalham no setor

Ciência e Tecnologia (C&T) é um setor crucial para a economia do conhecimento em termos de produtividade e como um gerador de empregos de qualidade. Apesar de sua crescente importância na agenda global, C&T está entre os setores com menor participação de mulheres no mundo, principalmente na América Latina.

Segundo o documento “Mulheres na ciência e tecnologia: como derrubar as paredes de cristal na América Latina”, dos programas de Proteção Social e Desenvolvimento Econômico do CIPPEC, na Argentina, Brasil e México, do total de pessoas empregadas em setores relacionados a C&T (que têm empregos de melhor qualidade e salários acima da média da economia) apenas cerca de um terço são mulheres.

A proporção é ainda mais baixa se falarmos de trabalhadores com habilidades em C&T que também realizam tarefas relacionadas: desses casos, as mulheres nesses três países representam menos de um quarto do total.

“Essa sub-representação responde a um problema multidimensional. As barreiras que as mulheres enfrentam começam desde muito cedo e vão surgindo ao longo da sua formação e carreira profissional”, explica Paula Szenkman, uma das coautoras do documento.

Embora as mulheres sejam maioria entre os que frequentam cursos universitários nos três países em análise, sua participação é reduzida nas áreas de C&T. Essa menor participação é acentuada no ambiente de trabalho. Enquanto as mulheres são 34% dos graduados em C&T no Brasil, 40% na Argentina e 31% no México, elas são apenas 20% dos empregados em C&T no Brasil, 24% na Argentina e 20% no México.

Porcentagem de mulheres por graduação e grau técnico (Brasil e México 2019, Argentina 2017)

Reprodução

Embora empregue uma proporção maior de trabalhadores altamente qualificados do que o resto da economia, o setor de C&T também emprega trabalhadores com nível educacional médio e baixo.

“Garantir a participação das mulheres na ciência e tecnologia é uma oportunidade crucial para evitar o aumento das lacunas existentes. Além de melhorar as condições de vida das mulheres, contribuiria para mitigar a reprodução intergeracional da pobreza e promover o crescimento econômico inclusivo”, diz Szenkman.

Distribuição dos trabalhadores nos setores de C&T de acordo com o nível educacional (1º trimestre de 2020)

Visualização da imagem
Reprodução

O documento detalha que a estratégia deve incluir políticas educacionais e de formação profissional com perspectiva de gênero para facilitar o acesso das mulheres ao mercado de trabalho; políticas culturais para quebrar preconceitos e estereótipos de gênero em empresas e instituições; e políticas para conseguir uma melhor conciliação entre trabalho e vida familiar e promover a promoção de mulheres a cargos de liderança. Além disso, é necessário fornecer informação pública de qualidade de forma sistemática e fortalecer e coordenar os esforços do setor privado com a esfera pública.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Post anterior
Black Desert é anunciado para a nova geração de consoles

Black Desert é anunciado para a nova geração de consoles

Próximo post
Lays

Lay’s: Mexican Sauce é o novo sabor da marca no Brasil

Posts Relacionados