“Quanto Mais Cedo, Maior”: nova série da Rede Globo focada na primeira infância

A primeira infância, que vai dos 0 aos 6 anos de idade, é uma fase que merece bastante atenção, pois atitudes e falas nesta idade impactam diretamente a vida adulta do indivíduo. Para mostrar a importância desse período na vida das pessoas e alertar os cuidados necessários na primeira infância, a Fundação Bernard Van Leer, Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Instituto Samuel Klein e o Itaú Social lançam a série “Quanto Mais Cedo, Maior”.

Produzida pela Prodigo Films, a série da Rede Globo conta com nove episódios com assuntos relevantes ao tema, como primeiros cuidados (pré-natal e amamentação), presença do pai, atenção e afeto, educação infantil e estímulos, como brincadeiras e leitura, além da relação com a cidade e o entorno.

A estreia acontece neste sábado (23), no programa É de Casa, exibido pela Rede Globo. O Dr. Drauzio Varella, médico e escritor, esclarece na abertura de um dos episódios:

“O desenvolvimento da criança se dá pela maneira como ela se relaciona com tudo que está em sua volta: falar, cantar, brincar e ler para bebês e crianças são os melhores estímulos para aprendizagem”

Todos os capítulos são compostos por famílias brasileiras de diferentes cidades do país, que compartilham suas histórias para o público, deixando evidente a importância dos cuidados e atenção a essa fase da vida.

“Investir e disseminar o desenvolvimento da primeira infância é vital para qualquer país. Usar o audiovisual como ferramenta para expandir essa consciência é um dos focos da Prodigo e é por isso que estamos nesse projeto”, explica Francesco Civita, CEO da produtora e criador da série. 

A Globo exibirá toda a série no programa É de Casa a partir deste sábado, 23 de janeiro, com o último programa previsto para 20 de março de 2021.

 

E por falar em crianças e educação, como está a rotina de home office na sua casa? Veja aqui o que os funcionários de grandes agências de publicidade e comunicação comentaram! 

 

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Post anterior

Inteligência artificial ajuda marca na identificação de tendências do mercado erótico

Próximo post

Aprendizados da pandemia: o que a Coca-Cola, como multinacional, enfrentou?

Posts Relacionados