Terra evidencia interesses e relação do público LGBTQIA+ com as marcas

Terra evidencia interesses e relação do público LGBTQIA+ com as marcas

Patrocinador máster e principal parceiro de mídia da Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo, veículo mapeou insights da relação da comunidade com a pauta política, entretenimento e publicidade

Encerrando o cronograma especial para marcar o Mês do Orgulho LGBT+, o Terra apresentou os resultados de seu levantamento sobre hábitos, interesses e relação da comunidade com marcas, entretenimento e política. Patrocinador máster e principal parceiro de mídia da Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo, o veículo mapeou as respostas de 340 mil pessoas em todo o Brasil como forma de evidenciar os interesses não apenas relacionados à Parada, mas ao longo de todo o ano em diversas esferas. Da base total, 93.896 pessoas (28%) se declararam como parte da comunidade LGBT+, e 245.659 pessoas (72%) como heterossexuais.

Segundo o estudo, 49% da comunidade LGBT+ deixaria de consumir determinado produto ou serviço de empresas avessas as causas relacionadas à diversidade. Os entrevistados apontaram também que 61% deles se sentem inclinados a comprar produtos e serviços de empresas que declaram apoio a essa causa, enquanto 55% pagariam mais caro por esses itens. Cada vez mais presentes nas campanhas publicitárias, artistas e influenciadores LGBT+ também foram aprovados pelo público. 68% dos respondentes da comunidade se disseram favoráveis que marcas contratem protagonistas com perfil diverso para suas comunicações.

O levantamento perguntou também sobre o comportamento desse público em relação à cidadania e pauta política. O tema da Parada do Orgulho LGBT+ deste ano promoveu o voto consciente. Dos entrevistados na comunidade LGBT+, 48% afirmam que estudam as propostas e o passado de candidatos políticos; 42% consideram em primeiro lugar as propostas dos candidatos para fazer suas escolhas ao ir às urnas. Outros 31% revelam que levam em consideração o histórico político dos candidatos, e 13% analisam as postagens de conteúdo no perfil dos aspirantes a cargos políticos. 58% garantem que a defesa as causas LGBT+ é fator decisivo para escolha do voto.

 Claudia Caliente, diretora do Terra, destaca:

“Desde abril deste ano o Terra tem reforçado seu novo posicionamento mediatech. Usar inteligência de dados, tecnologia e mídia é uma das nossas maiores fortalezas. Poder levar um pouco dessa expertise para o Mês do Orgulho, trazendo um panorama tão importante da comunidade LGBT+ foi a maneira que encontramos de sermos ainda mais relevantes e deixarmos um legado para o evento deste ano.”

Hábitos e interesses do público fora da comunidade LGBT+

A pesquisa também conversou com pessoas autodeclaradas heterossexuais. 245.659 desse grupo responderam as mesmas 13 perguntas, trazendo contrapontos e indicativos de proximidade a causa LGBT+. 44% dos participantes deixariam de consumir de uma marca que não apoia as causas da comunidade LGBT+, enquanto 54% se sentem inclinados a comprar de marcas que apoiam a causa. Já 48% pagariam a mais por produtos de empresas que defendem a bandeira da diversidade.

Assim como os respondentes LGBT+, 68% dos entrevistados aprovam marcas que incluem influenciadores e demais protagonistas da comunidade em suas campanhas. Sobre os hábitos políticos, 51% dos participantes que se declaram como heterossexuais afirmam pesquisar sempre o histórico dos políticos e 49% afirmam que levam em consideração, em primeiro lugar, as propostas dos candidatos, seguidos do histórico políticos com 34% e publicações na internet em 9%. Para 49% desse público, a defesa das causas da comunidade LGBT+ influenciam em suas decisões políticas.

O estudo aplicou pesquisa online nos meses de maio e junho para 340 mil pessoas em todo o Brasil via Vivo Data Rewards. A plataforma de mobile marketing é gratuita para usuários do serviço pré-pago de telefonia móvel da Vivo. O recurso é disponibilizado com exclusividade pelo Terra para marcas e anunciantes que buscam mais relevância e interações com o público.

A base contempla um público de 18 anos até a faixa acima 50 anos, em todas as regiões do país. As pessoas responderam voluntariamente a 13 perguntas. Do universo total, 72% declaram ser heterossexuais, o equivalente a 245.659 pessoas. Elas têm perfil majoritariamente das classes B (8%), C (45%) e D (47%), sendo distribuídas nas regiões Sul (5%), Sudeste (47%), Norte (18%), Nordeste (22%) e Centro-Oeste (7). Dentro do recorte de identidade de gênero, 67% são homens cis e 33% são mulheres cis.

Quer saber mais sobre as novidades? Não deixe de seguir o ADNEWS nas redes sociais e fique por dentro de tudo!

Post anterior
MMA Manager 2: Ultimate Fight Sim está disponível para mobile

MMA Manager 2: Ultimate Fight Sim está disponível para mobile

Próximo post
Limites do uso da IA geram discussão

Limites do uso da IA geram discussão na Europa (e no resto do mundo)

Posts Relacionados