Seja por necessidade, pela facilidade de trabalhar gerenciando o próprio horário, ou até como forma de aumentar a renda familiar, a função de motorista de aplicativo atrai diversas mulheres. No entanto, muitas mulheres ainda não se sentem seguras em trabalha como motorista de aplicativo pela insegurança e pelos -infelizmente- comuns casos de assédios dentro dos veículos.

Afim de resolver ou amenizar este problema a Uber, maior prestadora de serviços eletrônicos na área do transporte privado urbano, vem se mobilizando para gerar maior segurança e tranquilidade para as mulheres e não binárias usuárias do aplicativo, e aumentar o número de mulheres no App. Atualmente, 94% dos motoristas são homens.

Programa “Elas na Direção”

Desde de 2019 a Uber tem mostrado preocupação com a segurança das mulheres que trabalham na plataforma e das passageiras, com a criação do projeto “Elas na Direção” em parceria com a Rede Mulher Empreendedora (RME). O objetivo é aumentar o número de motoristas no aplicativo e trazer mais segurança para ela.

O programa testado por um ano pela Uber, busca conectar passageiras e motoristas femininas da plataforma de carona privada com maior facilidade, além de traz uma série de outros recursos voltados ao benefício da mulher. Como por exemplo, a parceria com a Localiza Hertz, no qual mulheres que queiram trabalhar como motoristas mas não possuem carro próprio conseguem alugar um veículo com descontos e condições especiais.

U-Elas

Um dos grandes recursos do programa da Uber é U-Elas, que permite que motoristas mulheres realizem corridas exclusivamente para outras mulheres. O recurso estava em teste nas cidades de Campinas, Curitiba e Fortaleza. A partir de agora o serviço estará disponível para mais de vinte cidades, que inclui as capitais Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Manaus, Porto Alegre, Recife e Salvador.

Como funciona

O U-Elas pode ser ativado e desativado pelas motoristas a qualquer momento, assim elas poderão escolher entre realizar ou não as viagens para passageiros homens. Caso apareça uma corrida para algum passageiro do sexo masculino, elas poderão recusar o serviço sem nenhum impacto em sua métrica. Saiba mais como utilizar o recurso no site oficial da Uber ou pelo aplicativo

“Entendemos que esse é um primeiro passo para que, no futuro, tenhamos um número suficiente de mulheres dirigindo para também oferecer essa opção para usuárias mulheres com a mesma eficiência que é marca registrada da Uber”, explica Claudia Woods, diretora-geral da Uber no Brasil.