A recém-chegada CNN Brasil já mostrou que veio para ficar no topo e se tornar um canal influente quando se trata de jornalismo. Em poucos dias após sua estreia, o canal já alcançava a vice-liderança, segundo o Kantar Ibope Media, trazendo um reflexo positivo ao alcance pretendido pela emissora, é claro. Muitos fatores envolveram o canal nos últimos tempos, a saída de jornalistas renomados de suas emissoras para ingressar a CNN, os trending-topics nas redes, e um pesadelo que assustara o mundo todo próximo próximo a sua data de estreia, a pandemia do novo coronavírus. As notícias sobre o vírus não estavam nos planos da emissora, embora tenha sido um tema muito bem abordado, criaram boas estruturas e um bom relacionamento com o público.

“O Covid-19 exigiu uma rápida tomada de decisão em torno do nosso conteúdo editorial para atender as novas demandas, levando informações claras e precisas a respeito da pandemia que está afetando todas as nações.” explica Marcus Vinicius Chisco, vice-presidente comercial da CNN Brasil.

O fato é que a nova filial no país investiu milhões para que pudessem estar no ar e ainda conta com um elenco preparado para uma grade e cobertura extensa. São mais de 17 horas por dia de noticiários que obtiveram retorno, e desta vez não só com o público, agora com o mercado publicitário. “Recebemos com muita alegria e satisfação os primeiros resultados. Houve um trabalho grande para colocar o canal em operação e o público já se identificou conosco.” comemora Chisco sobre a vice-liderança de audiência e bom entrosamento com o público.

Marcus Vinicius também nos conta que as marcas procuram o canal cada vez mais, principalmente na época da pandemia, e isso é um reflexo dos números. “Nesse momento de pandemia, estamos com demanda crescente de marcas que querem se posicionar e nos procuram por conta da credibilidade que a CNN oferece. Nosso objetivo maior é atender diferentes stakeholders e propor soluções que tragam o contínuo incremento do nosso poder de engajamento e relevância, contribuindo para a sociedade e para os nossos parceiros comerciais.”, diz o vice-presidente.

E neste começo agitado também existiram obstáculos, por alguns dias, o nome da emissora esteve envolvida em um caso de constrangimento da jornalista Gabriela Prioli, que participava do programa de debates da CNN Brasil, o Grande Debate. O formato deverá continuar fazendo parte da grade de jornalismo da emissora, e a CNN pretende ficar atento nos feedbacks feitos pelas redes sociais e entender cada vez mais o gosto do público. “O canal está atento e ouve o público através das redes sociais […] Nossos debates continuarão presentes em nossas telas e a Gabriela Prioli também continua conosco, agora no prime time.” afirma Marcus sobre o posicionamento do canal.