O papel das empresas na gestão de carreira dos profissionais de marketing

O papel das empresas na gestão de carreira dos profissionais de marketing

Nesta publicação, entenderemos sobre a importância do papel das empresas na gestão de carreira dos profissionais de marketing

Influenciar pessoas e definir posicionamentos exige responsabilidade e conhecimento. Há, no setor de comunicação, uma crescente demanda por profissionais de marketing que tenham um perfil plural. Não só nos conhecimentos técnicos em sua área de atuação, mas também na capacidade analítica sobre temas sociais relevantes. Assim, uma questão tem se apresentado como um desafio para as empresas: como atuar no desenvolvimento da carreira de um funcionário deste segmento?


Ao analisarmos a evolução do mercado de marketing, é nítido que houve uma grande mudança de cenário no século XXI. Durante décadas, os profissionais do setor tinham um grande objetivo: impactar o maior número de pessoas por meio de uma peça publicitária televisiva. Em poucos segundos, durante o intervalo de uma novela, partida de futebol ou programa de auditório, era necessário criar desejo por determinado produto nos consumidores. 


No século XXI, principalmente na última década, este contexto mudou. Com a criação e a expansão de plataformas digitais, considerando a diversidade de linguagem e público entre elas, o que antes era uma jornada com um único caminho rumo ao objetivo final se tornou uma via com múltiplas possibilidades. Este aspecto, claro, passou a exigir novas habilidades dos profissionais de marketing, assim como a contribuição das organizações para o desenvolvimento de seus funcionários. 

Em 2021, o estudo Tendências Globais de Capital Humano, divulgado pela Deloitte, entrevistou 6 mil profissionais (3.630 executivos sêniors), em 99 países, e perguntou quais eram as ações mais importantes que a empresa estava realizando ou planejava executar para transformar o trabalho. A resposta mais comum foi “construindo uma cultura organizacional que celebra o crescimento, a adaptabilidade e a resiliência” (45%), seguida por “desenvolver a capacidade da força de trabalho por meio de qualificação, requalificação e mobilidade” (41%). 

Na Visa, acreditamos que o funcionário seja o protagonista de sua trajetória profissional, enquanto o gestor deve atuar como um facilitador. É necessário conhecer as pessoas, suas características, habilidades e perspectivas para que as lideranças estejam capacitadas para auxiliar no desenvolvimento de sua carreira.

Há pessoas que foram incorporadas à empresa há pouco tempo ou estão exercendo uma nova função na organização. Desta maneira, necessitam de tempo para adquirir novos conhecimentos e demonstrar que possuem as habilidades necessárias para o cargo. Há, também, funcionários que buscam adquirir conhecimento sobre um novo tema em sua atual área de atuação, como um funcionário do setor de marketing que apresenta interesse em se aprofundar sobre metaverso. 

Em um cenário de transformações estruturais mais complexas, há pessoas que têm como objetivo fazer a transição para um setor em que nunca atuou profissionalmente, como um profissional de marketing ser direcionado para o setor de vendas, comercial ou pesquisa. Outro exemplo é um profisisonal que define como meta ser CEO da empresa e busca passar por diferentes áreas para entender o funcionamento organizacional de maneira mais ampla. 

No setor de marketing, é fundamental que, desde a entrevista, as lideranças observem a capacidade de aprendizagem e embasamento que o candidato demonstra, pois este é um mercado em constante transformação e com alta demanda da sociedade. E, claro, há a missão de a companhia identificar talentos com capacidade de liderança e acelerar sua carreira para que assuma cargos executivos. 

Além disso, as organizações devem empoderar seus times para que tenham autonomia em suas funções e oferecer ferramentas que possibilitem o desenvolvimento do conhecimento em áreas que sejam do seu interesse, aumentando seu engajamento e aspecto motivacional. 

Na pluralidade da sociedade e do segmento de marketing, por exemplo, é indispensável que os profissionais estejam conectados ao mundo e suas ambiguidades, suas necessidades e saibam aproveitar a análise de dados para criar campanhas assertivas. Cada vez mais, é essencial que as marcas definam posicionamentos em questões sociais, exigindo capacidade de adaptação e interpretação destes profissionais para aproveitar as oportunidades na comunicação. 

Quando os funcionários têm a percepção de que há um planejamento consolidado de desenvolvimento de carreira e de que são capazes de obter sucesso, a organização também se beneficia. Quando as pessoas crescem, a empresa também evolui e está mais próxima de conquistar o êxito em sua estratégia de negócio. 

Post anterior
Qual o futuro das animações e até onde o estilo importa?

Qual o futuro das animações e até onde o estilo importa?

Próximo post
Google abre inscrições para 3ª edição do Desafio de Inovação da GNI

Google abre inscrições para 3ª edição do Desafio de Inovação da GNI

Posts Relacionados