As estruturas da DC Films se abalaram após o anúncio de que o ator Henry Cavill não faria mais o papel do Superman. O foco do estúdio, a partir de agora, seria na Supergirl, prima e herói poderosíssima no mundo interior da DC. Por mais que Supergirl ainda seja somente um projeto no papel, sites como o Deadline já atualizaram rumores sobre o filme, e sobre quem seria o próximo Superman.

Segundo o Deadline, o nome mais atraente para a Warner Bros e seu público, seria Michael B. Jordan. O ator conhecido por ser Adonis Creed, em Creed: Nascido para Lutar, já passou pelas telonas em filmes de heróis… Em 2015, participou do filme Quarteto Fantástico, sendo o Tocha Humana; e recentemente, sendo N’ Jadaka, inimigo de Pantera Negra.

Os rumores dominaram a internet e até Michael confessou ter ouvido falar sobre, porém, não seria fácil ser o Superman. Para ele, é difícil interpretar o Superman, muitos já fizeram o papel, e ele não gostaria de ser comparado. Sua praia seria algo mais original, por exemplo, caso assumisse o papel, Jordan seria o primeiro ator negro a atuar como o Superman nos filmes do Universo DC.

Jordan ainda explicou que, para ele, seria melhor atuar como Calvin Ellis, o Black Superman. Em entrevista para o programa de Oprah Winfrey, o ator disse que os fãs poderiam aceitar melhor a ideia de ser como o personagem negro dos quadrinhos da DC, ao invés de interpretar o próprio Clark Kent. Black Superman vive na Terra-23, e ainda é Presidente dos Estados Unidos em seu universo.

No site The Undefeated, o escritor Clinton Yates, disse que se Michael aceitasse o papel, ele seria a ‘salvação’ depois de toda essa complexidade cultural dos super-heróis brancos dos EUA, se tornaria um trabalho completamente diferente dos outros.

Ainda não se sabe se a nova narrativa, com a possível atuação de Michael B. Jordan continuaria na linha do tempo do Universo Estendido da DC, ou se vivaria somente mais um dos filmes com a narrativa separada. O fato é que, nos últimos anos a editora norte-americana deixou a desejar nas bilheterias  após filmes como “Batman v Superman: Amanhecer da Justiça”, em 2016,  e “Liga da Justiça”, em 2017, que faziam parte do todo o Universo. Agora, com “Aquaman” e “Coringa”, e até “Shazam!”, filmes onde a narrativa os separa de todo o DCEU, fizeram sucesso, e geraram lucros para a empresa.