ONU lança a campanha "Respeita as mina. É simples."

bvc

A ONU Mulheres, com o suporte do Comitê Nacional Impulsor ElesPorElas HeForShe, anuncia a campanha “Respeita as mina. É simples.” O slogan é inspirado no movimento criado pela Secretaria de Políticas para Mulheres, do Governo da Bahia, e tem o objetivo é alertar os foliões sobre o problema do assédio sexual no carnaval, que aumenta significantemente no período.

Em 2017, o crescimento no número de denúncias chegou a 90%. Foram 2132 atendimentos registrados pela Central de Atendimento da Mulher (disque 180) apenas nos quatro dias de Carnaval. Muitos desses casos são consequência de uma cultura em que os homens não escutam as mulheres.

A campanha foi criada pela agência Heads e está sendo viabilizada com o apoio do Museu de Arte Moderna de São Paulo, do Brasília Cidadã, do Metrô-DF, do Metrô-SP, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia, e o patrocínio da Atento, da Avon, e da Itaipu Binacional.

Este ano, a ação fará parte do movimento global de solidariedade pela igualdade de gênero ElesPorElas HeForShe para falar diretamente com os homens e mostrar que a responsabilidade do assédio nunca é da vítima, mas sim do assediador.

A ONU Mulheres espera provocar uma reflexão dos homens sobre suas atitudes e comportamentos durante as festividades, para que a cultura do assédio não seja reproduzida, normalizada ou tolerada. “O Carnaval é um momento de diversão para todas e todos, mas infelizmente a realidade é que os espaços ainda não são seguros para que as mulheres possam se divertir sem medo de violência. Para tanto, é preciso que os homens abandonem comportamentos nocivos que perpetuam a violência e isso requer que eles respeitem as mulheres”, disse Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres no Brasil.

Com frases simples, a campanha mostra que os homens não podem julgar o comportamento das mulheres e nem tomar atitudes que contrariam suas vontades. As frases evidenciam que a mensagem é óbvia e que não cabem outras interpretações pelos homens.

O objetivo dessas mensagens é provar que assédio não é paquera, e que a diferença entre as duas abordagens é o respeito. Se a resposta da mulher não foi respeitada ou se ela não concedeu a aproximação, a abordagem é assédio sexual. Este já é o terceiro ano que a ONU Mulheres promove uma campanha no período do Carnaval visando a conscientizar os foliões e foliãs sobre a necessidade de combater a violência sexual.

Ficha Técnica:

CCO: Rynaldo Gondim
CEO: Erick Machado
Diretor de Criação:  Kike Borell
Redator:  Bruno Pereira
Diretor de Arte:  Eduardo Vares
Atendimento:  Bruna Lobato e Julia Teixeira
Gerente de Projetos:  Fernanda Menge e Marina Figueiredo
Planejamento: Ira Finkelstein e Isabel Aquino
Mídia:  Felipe Zétola e Alexandre Hipólito
RTV:  Fabiano Proença
Ilustrador: Giulia Bianchi
Produtor digital: Gimpa
Produtor gráfico: Marcelo Santos
Produtora de Som: Cabaret
Maestro: Andre Henrique
Produtor: Lucas Comparato
Atendimento: Ingrid Lopes
Locutor: Maria Stein

 

Deixe seu comentário: