Google, Amazon, Apple e Facebook, é quase impossível que essas empresas não façam parte do seu cotidiano de alguma maneira. Segundo um levantamento da Aixos, publicado essa semana, Apple, Amazon, Alphabet (controladora do Google) e Facebook somam atualmente US$ 5 trilhões de valor de mercado.

Agora os executivos dessas companhias gigantes estão sendo convocados para testemunhar perante o painel antitruste do Comitê Judiciário da Câmara no Congresso dos Estados Unidos.

O objetivo da audiência é investigar a suspeita de práticas anticoncorrenciais como controle de algoritmos, e privilégio aos próprios produtos em plataformas de comércio eletrônico, entre outras acusações por parte das empresas do Vale do Silício, a investigação já está em andamento há mais de um ano e já reuniu 1,3 milhão de documentos.

Em nota à imprensa, o deputado Jerrold Nadler, presidente da Comissão Judiciária da Câmara dos Deputados, e o presidente da Subcomissão Antitruste, David Cicilline, disse que “considerando o papel central que essas empresas ocupam na vida dos americanos, é essencial que os executivos sejam transparentes”.

Estarão presentes Tim Cook (Apple), Jeff Bezos (Amazon), Mark Zuckerberg (Facebook) e Sundar Pichai (Alphabet e Google) na audiência que será realizada em Washington nesta quarta-feira (29), às 13h, horário de Brasília. Você pode acompanhar a audiência ao vivo pelo canal do YouTube do subcomitê da Câmara.

Não é a primeira vez que essas empresas são acusadas de práticas como essas, na União Européia processos similares também estão em andamento, a Google já foi multada no continente em US$ 5 bilhões por causa do sistema operacional móvel Android e Mark Zuckerberg, o cofundador do Facebook,  já participou de sabatinas para parlamentares dos EUA em 2018 por mal uso de dados de usuários por parte da consultoria Cambridge Analytica.

A Tilt, canal de Tecnologia da UOL, entrou em contato com a assessoria de imprensa das gigantes de tecnologia no Brasil, mas essas informaram que não irão se manifestar sobre o depoimento dos seus executivos no Congresso americano.