A TV Globo morreu. Viva a Uma Só Globo

tv

Nesta semana fomos surpreendidos com o comunicado oficial da Rede Globo, que divulgou aos seus funcionários, o lançamento do projeto “Uma Só Globo”, que pretende, em um prazo de três anos, transformar a TV Globo, Globosat, Globo.com, DGCorp e Som Livre em uma única empresa.

O presidente executivo do Grupo Globo, Jorge Nóbrega, informou que a proposta é ir na direção da integração de equipes e estruturas, desenvolvimento de novas áreas de competência, criação de novos negócios e busca de novas receitas. Para esse processo, a Globo contratou a consultoria Accenture, cujos profissionais trabalharão junto com os funcionários de diferentes áreas da Globo a fim de realizar a unificação dos negócios. Ou seja, como sempre afirmei, em 2020 viveremos o ano da “Midiamorfose”, palavra destacada no meu livro “Atração Global” de 1998.

Pra quem desconhece a Accenture, ela é uma das maiores empresas de consultoria do mundo e atualmente tem investido pesado, inclusive no país, para competir com as consagradas agências de propaganda. Ou seja, grupos como WPP, Interpublic, Omnicom, Publicis, etc, terão agora que enfrentar duas realidades; A primeira é que bem provavelmente a fonte de receita das tradicionais agências, a Comissão sobre Veiculação e a Bonificação de Volume (BV) tenderão a não existir com a criação de “Uma Só Globo”, a segunda é que a própria Accenture, com este novo projeto certamente ocupará, com muito mais propriedade, o lugar das agências. Um novo e incrível competidor. Possivelmente a recente notícia de que a VML se fundiu com a Y&R, ambas do Grupo WPP, tem a ver com isto.

Evidente que a decisão do presidente Jorge Nóbrega deve ter levado em consideração que as mídias estão se tornando globais. Isto significa que a Globo passará a competir com Netflix, Hulu, Amazon, Disney, entre outras plataformas de streaming. Difícil para uma empresa regional competir neste cenário, mesmo sendo uma Globo.

Jorge Nóbrega encerra o comunicado dizendo: “Vamos atuar em duas vertentes ao mesmo tempo: na melhoria e aperfeiçoamento de nossos negócios e atividades atuais e na criação de novos negócios. A partir da nossa visão de futuro, vamos criar objetivos concretos e mensuráveis, que serão trabalhados de forma estruturada por equipes mistas de consultores e profissionais da casa, produzindo soluções a serem imediatamente aplicadas”.

Me lembrou 18 de setembro de 1950, quando foi inaugurada a TV Tupi, a primeira emissora de televisão do Brasil e a quarta do mundo. No evento de lançamento, ele foi encerrado com a “Canção da TV”, que dizia;

Vingou, como tudo vinga

No teu chão, Piratininga

A cruz que Anchieta plantou

Pois dir-se-á que ela hoje acena

Por uma altíssima antena...

E assim, a meu ver, estamos encerrando o capítulo do envio de sinais de televisão pelo espectro eletromagnético, seja ele VHF ou UHF. Bem-vindos ao VOD e Streams. Bem-vinda “Uma Só Globo”.

Antonio Rosa é jornalista e CEO da Adnews - [email protected]

 

Deixe seu comentário: