ADFestivals

Presidente de júri, PJ Pereira fala sobre Entertainment em Cannes

PJ Pereira

Aconteceu nesta quarta-feira (21), no Cannes Lions Festival, a conferência de imprensa para anunciar os vencedores da categoria Entertainment Lions.

O presidente do júri PJ Pereira, CEO da Pereira & O'Dell, iniciou a sessão comentando que Entertainment é uma das mais jovens categorias e por tão recente ela ainda está tomando forma.

PJ salientou que "devemos aprender com os trabalhos, que nos mostram para onde o mundo está caminhando." E destacou a diversidade de projetos vindos de inúmeros segmentos, agências, empresas e criativos de países e culturas extremamente diversificadas.

Santander - Cuanto

Na categoria, a grande vitoriosa foi a campanha Beyond Money. Criada pela McCann Espanha para o Santander, ela tinha como carro chefe um média-metragem, que era exibido em cinemas, intitulado Cuanto, com duração de 18 minutos este filme conquistou as telonas e a audiência.

Na ficção científica vemos a história de uma jovem mulher rica que passa por uma crise financeira com seu marido.  Para manter o nível de vida a mulher vende suas memórias, se desfazendo de lembranças importantes como seu casamento, nascimento dos filhos entre outras memórias marcantes. Na em medida que sua conta bancária engorda, sua vida se torna vazia.

A campanha ativou um debate sobre a importância do dinheiro nas mídias, indo ao encontro do que esperamos de uma instituição bancária. O banco dizia que o dinheiro não é a coisa mais importante.

O impacto nos negócios foi 24% de queda do sentimento de insegurança em relação à instituição e um aumento de 35% da renda anual em somente 2 semanas.

De acordo com PJ Pereira, a peça do GP mostra como uma marca pode definir sua missão e conquistar o status da imprensa. Ele define a campanha como o perfeito exemplo de Brand Entertainment, com a capacidade de comunicar com os clientes e criar uma relação com eles.

PJ destacou a beleza na realização do filme, e afirmou que as pessoas iam assistir o video para sua diversão, a marca não estava no centro das atenções, estava somente financiando o projeto. 

Ele conclui que a marca não comprou o tempo dos consumidores na mídia, a audiência que decidiu o que gostaria fazer com seu tempo. "Tivemos que olhar cada filme na integralidade." declarou PJ em relação ao longo trabalho que visualização das peças na categoria.

*Texto originalmente publicado no Acontecendo Aqui e parte da parceria de conteúdo com o Adnews para a cobertura do Cannes Lions 2017.

Deixe seu comentário: