Festival do Clube de Criação debate gênero e diversidade

festival clube

O reconhecimento da dignidade humana em relação a grupos historicamente excluídos é premissa básica para uma sociedade mais igualitária. O que é ser homem? E mulher? A feminilidade é algo intrínseco ou construído e propagado socialmente? Os temas relativos ao debate de gênero e diversidade conquistam cada vez mais espaço na agenda da indústria de comunicação, o que significa uma vitória coletiva, já que nos coloca como agentes na transformação social que culturalmente tende a excluir e marginalizar o outro, muitas vezes, por falta de entendimento ou empatia com o diferente.

Palavras e expressões como “representatividade” e “empoderamento” passaram a ser propagadas e como resultado muito mais gente conseguiu se enxergar, se entender e se ver - personalidade, traços e credos -  como forma de resistência. O que mostra que incluir estes temas no dia-a-dia não só é importante em diversos graus, como faz a diferença na forma como nos vemos, e em consequência enxergamos o mundo que vivemos. Entre 16 e 18 de setembro, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, o Clube de Criação, mais uma vez colocará gênero e diversidade em pauta no seu Festival próprio.

Como nas edições anteriores, o evento deste ano terá painéis com a participação de líderes e representantes do mercado e de outros segmentos.  O jornalista André Fischer, fundador do Mix Brasil, festival de cultura e de diversidade, e da rede social Hornet, conduz o painel “Inclusão de gênero e diversidade na propaganda – 2ª rodada”. No ano passado, ele foi mediador desse debate que teve a participação de nomes como Assucena, vocalista da banda As Bahias e a Cozinha Mineira, e de Isabel Clavelin, da ONU Mulheres.

Desta vez, os participantes são Alexandre Bouza (diretor de marketing de O Boticário), Ana Cortat (cofundadora da Hybrid CoLab - New Behaviour Driven); Johnny Luxo (DJ); Maíra Liguori (cofundadora do Think Eva); e Neon Cunha, designer trans que conquistou, após ação na Justiça, o direito de mudar de nome e gênero em seus documentos sem a necessidade de apresentar atestado médico. O painel acontece no sábado 16.

Outro tema cuja discussão no mercado é de extrema importância hoje é o empoderamento feminino. No domingo 17, Joanna Monteiro, Chief Creative Officer da FCB Brasil, modera o debate "Revolução pós-gênero: novas identidades e espaço para diferenças”, com Daniela Mignani, diretora dos canais GNT, Viva e Mais Globosat; Deborah Vasques, redatora da Lew’Lara\TBWA que faz parte do movimento See It Be it; a atriz Denise Fraga e a cineasta Laís Bodanzky.

Na segunda-feira 18, o painel “Nem rosa, nem azul: moda sem gênero” reunirá os estilistas Alexandre Herchcovitch e Walério Araújo; a diretora de criação Keka Morelle, da AlmapBBDO; Rafael Nascimento, diretor criativo da grife Another Place; e Renan Serrano, Chief Innovation Officer de outra grife, a Trendt. A mediação é da Susana Barbosa, diretora de redação da Elle Brasil.

A entrada é gratuita para os associados do Clube de Criação, mas você pode adquirir ingressos sem ser associado clicando aqui. Mais informações sobre o Festival neste link

 

Deixe seu comentário: