Google vai aos tribunais europeus para responder sobre não cumprimento de lei

asdgfa

Envolvida em diversas polêmicas nos últimos dias, a Google retorna aos tribunais da União Europeia nesta terça feira (11), desta vez para responder à não aplicação da lei que permite o usuário de “sumir” com seus dados na internet.

Segundo matéria publicada na Folha de S. Paulo, a UE, em 2014, definiu que todos os buscadores deveriam respeitar determinadas leis de privacidade. Logo, precisariam garantir que informações pessoais de usuários deveriam ser removidas das plataformas quando solicitado.

De início a Google não concordou com a ideia, mas passou, em partes, por aderi-la. Os dados eram removidos dos domínios locais, mas no site as informações continuavam sem nenhuma alteração.

A atitude deixou diversas autoridades descontentes, dentre elas a França, que aplicou, em 2016, uma multa de 100 mil dólares na companhia e iniciou a campanha para que o projeto de proteção fosse expandido globalmente.

Em comunicado, o órgão regulador de privacidade da companhia, o CNIL alegou que “apenas uma medida [...] sem distinção entre extensões usadas e localização geográfica do usuário de internet [...] é legalmente adequada para corresponder aos requisitos por proteção, conforme definido pela Corte de Justiça da União Europeia”.

Deixe seu comentário: