Jaime Troiano fala sobre Inteligência e o universo do branding em seu novo livro

jaime

No fim de setembro chega às livrarias do país o livro “Brandintelligence – Construindo marcas que fortalecem empresas e movimentam a economia”, novo trabalho de Jaime Troiano, Presidente da TroianoBranding, pioneiro em gestão de Branding no país. O livro é um lançamento da Editora Estação das Letras e Cores, com a edição de texto de Antoninho Rossini. Tem prefácio assinado por Flávio Rocha, Presidente da Riachuelo, e contribuições especiais de Walter Longo (Presidente do Grupo Abril), Cícero Penha (VP de Talentos Humanos do Grupo Algar) e Cecília Machado Russo (Diretora Geral da TroianoBranding). 

A obra reúne, em nove capítulos, um conjunto de ensinamentos em que o autor compartilha as várias lições e técnicas adquiridas em seu trabalho de ajudar os gestores a cuidarem de seu ativo mais precioso – as marcas.  Formado em Engenharia Química pela FEI e em Sociologia pela USP, Jaime fundou e comanda há 24 anos a TroianoBranding, a primeira empresa brasileira dedicada integralmente à gestão de marcas. Antes disso foi VP de Planejamento e Consumer Insights para agências como Young & Rubicam, MPM-Lintas e BBDO, com atuação em toda América Latina. Possui diversos artigos e estudos publicados e premiados sobre Branding e comportamento do consumidor no Brasil e exterior. É autor do livro As Marcas no Divã, uma análise de consumidores e criação de valor (Ed.Globo).

De acordo com Troiano, “em certo sentido, Branding é a continuação e a negação da Revolução Industrial. É a continuação por se tratar da forma suprema de relacionamento entre produção e consumo. Por outro lado, é a negação porque Branding é o princípio da desmaterialização da economia, onde cada vez operaremos mais com bits e menos com átomos, nas relações com os stakeholders das empresas. Na medida em que o valor das marcas representa uma fração substancial do valor econômico da empresa como um todo ou da sua capitalização de mercado, não há como ignorar a importância de uma gestão inteligente de marcas”, diz. Em Brandintelligence, o leitor poderá ver o desenvolvimento de conceitos como esse.

Para Jaime: “A história das empresas nos mercados caminhou de uma disputa entre produtos, para uma competição entre realidades simbólicas de suas marcas”. É esta a explicação da ruptura pela qual passa o jogo competitivo entre as empresas nas últimas décadas e que define o Branding como o instrumento de gestão potencialmente mais eficaz na construção de valor e de sustentabilidade na vida das organizações atualmente. Uma das inúmeras lições contidas no novo livro. 

Deixe seu comentário: