'O corredor de beleza é o último lugar em que a segregação ainda é legal'

A afirmação de que "o corredor de beleza do supermercado é o último lugar na América onde a segregação ainda é legal" foi utilizada pelo CEO e fundador da Shea Moiusture, Richelieu Dennis, para justificar a necessidade de uma ação que tratasse dos estereotipos raciais de beleza ainda muito presentes na indústria de comésticos. Com o recado entendido, a Droga5 desenvolveu sua primeira campanha para a marca.

A campanha adequadamente batizada de "Break the Walls" propõe exatamente que os muros que separam mulheres negras dos chamados padrões de beleza sejam completamente quebrados. Para ilustrar a ideia da assinatura, o primeiro comercial mostra mulheres na seção de cosméticos de um supermercado. Os corredores estão divididos entre tipos de cabelo e a quebra dessas "regras" infundadas é representada pelo momento em que uma mulher negra com cabelos crespos decide ultrapassar essas barreiras ao adentrar no setor vizinho.

"Separar as categorias ‘Beleza’ e ‘Etnia’ tem servido apenas para perpetuar ainda mais as normas do que é considerado bonito em nossa indústria e sociedade, e é por isso que estamos liderando esforços para quebrar essas predes", declarou Dennis em entrevista ao Adweek.

Para além de uma campanha publicitária, o executivo afirma que a ação configura um movimento urgente para suscitar a discussão do assunto no mercado da beleza: "Esse movimento é mais do que simplesmente vender xampú ou loções. Estamos avançando com a missão de iniciar um debate social a respeito de como vemos a beleza em uma sociedade com estruturas ainda tão arcaicaas", concluiu.

Confira abaixo filme da campanha: 

Uma versão extendida com os batidores do filme foi lançada pela agência. Confira: 

Redação Adnews

Deixe seu comentário: